Fonte: OpenWeather

    Política


    Eleições da Venezuela em Manaus? Entenda porque imigrantes vão às urnas neste domingo

    Venezuelanos vão votar contra ou a favor da nova Assembleia Constituinte em plebiscito | Divulgação

    Venezuelanos residentes em Manaus estão mobilizados para participar do plebiscito organizado pela Mesa de Unidade Democratica (MUD), coalizão partidária contra o presidente Nicolás Maduro, para definir se o povo é a favor ou contra nova Assembleia Nacional Constituinte. Neste domingo, o grupo prepara uma concentração na Praça da Saudade, Centro, às 7h da manhã.

    Os imigrantes pretendem se reunir e, em seguida, caminhar até a Praça dos Remédios, também no Centro, onde estará uma urna de votação. O pleito não tem efeito oficial, a intenção da MUD é mostrar a insatisfação popular com os rumos políticos da Venezuela sob o comando do atual presidente. O plebiscito deve acontecer também em outras cidades ao redor do mundo.

    Por causa da proximidade e do crescente número de imigrantes vindos do país vizinho, a capital amazonense se tornou um importante polo de discussões a respeito das questões políticas da Venezuela.

    Leia também: Mais de 200 Índios venezuelanos são transferidos para abrigos em Manaus

    Até um grupo de WhatsApp, com mais de 100 membros, é usado como meio de debates. De acordo com o professor e especialista em ciências sociais, o venezuelano Yanhec Silva, de 29 anos, críticas fortes à Maduro são comuns durante as discussões.

    “Dizem constantemente que Maduro é uma pessoa autoritária, que segue roubando o país e não dá importância à sua população”, narrou Yanhec.

    Os integrantes do grupo calculam que mais de 2 mil participantes podem ir até a praça dos Remédios votar na manhã de domingo. Eles criticam a tentativa do presidente Maduro de esvaziar o plebiscito. O mandatário convocou, para o mesmo dia, uma simulação de eleição para a Assembleia Nacional do país.

    Assembleia nacional tem maioria de oposição | Divulgação

    “Isso é uma tentativa de desqualificar a consulta popular que a Assembleia Nacional, composta na sua maioria por deputados da oposição, eleitos pela população venezuelana, organiza”, diz revoltado José Rafael Rodriguez, economista de 36 anos que também veio tentar melhor sorte no Brasil.

    Apesar da mobilização, para que os votos sejam contabilizados, os imigrantes dependem da aprovação de Manaus como local de votação por parte da Comunidade de Venezuelanos no Exterior (Covenex).

    Neste plebiscito, nossos vizinhos responderão se reconhecem a nova Assembleia Nacional Constituinte de Maduro, se concordam em solicitar que as Forças Armadas protejam a Constituição de 1999 e se aprovam a renovação dos poderes por meios de uma eleição direta.

    Raphael Sampaio
    EM TEMPO

    Leia mais

    Venezuela: sobe para 92 número de mortos em protestos de oposição a Maduro

    Ministro da Justiça visita abrigo de venezuelanos em Manaus e faz alerta sobre permanência no país

    Prefeitura vai oferecer aulas a crianças indígenas venezuelanas

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores