Fonte: OpenWeather

    Política


    Câmeras fazem o monitoramento da eleição suplementar no AM

        O sistema de operação foi ativado há dois dias para acompanhar a entrega das urnas - Divulgação

    As câmeras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), instaladas nas principais zonas da cidade, estão sendo usadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) para fiscalizar possíveis irregularidades durante as eleições suplementares deste ano.

    Segundo o secretário, da Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada (Seagi), Dan Câmara, o sistema de operação e controle foi ativado há dois dias para acompanhar a entrega das urnas. Às 2hs da manhã deste domingo (6), uma estrutura chamada central integrada de fiscalização foi ativada para combater ações delituosas referente a Lei Seca.

    Leia também: Eleição suplementar: lei Seca fecha 126 bares na madrugada de domingo em Manaus

    “Foi instalado também no Tribunal Regional Eleitoral uma plataforma de monitoramento elevada. Nós temos, em Presidente Figueiredo, um centro de comando e controle. Através desta plataforma, estamos conseguindo visualizar imagens da comunidade Boa União - que fica a aproximadamente 70 quilômetros do município,” disse o secretário.

    Ainda de acordo com Dan Câmara, em Manaus, existem 292 câmeras realizado o monitoramento das eleições. Cerca de 3 mil servidores da segurança pública do Estado Amazonas e 1876 homens do Exército Brasileiro, além de outros órgãos estão trabalhando na operação “Eleição Estadual Suplementar 2017” na capital e no interior. O secretário ressaltou que pela madrugada e manhã de hoje não houve nenhuma ocorrência registrada.

    Elias Pedroza
    Em Tempo

    Leia Mais

    Eleição suplementar é marcada por abstenção em Parintins

    David Almeida diz que Amazonas vai eleger primeira governadora em eleição suplementar

    Ao votar, José Ricardo diz que ‘representa ruptura com política antiga no AM’

    Mais lidas

    1. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    2. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    3. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    4. Temer exonera oito ministros

    5. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base