Fonte: OpenWeather

    Política


    Fachin decide não incluir Temer em inquérito que investiga integrantes do PMDB

    Fachin entendeu que o presidente já é investigado pelo crime de organização criminosa - Divulgação

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin decidiu, nesta quinta-feira (10), não incluir o presidente Michel Temer no inquérito que investiga integrantes do PMDB da Câmara dos Deputados no âmbito da Operação Lava Jato. O pedido foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

    Na decisão, Fachin entendeu que o presidente já é investigado pelo crime de organização criminosa no inquérito que foi aberto pelo Supremo a partir das delações da JBS, sendo “desnecessária” a inclusão de Temer em outro inquérito.

    Leia também: Economiza Manaus: Ingresso com desconto para show de Tom Cleber no Dia dos Pais

    O pedido para incluir o presidente no inquérito que investiga o PMDB havia sido feito pela Polícia Federal (PF), o que levou Fachin a solicitar a manifestação de Janot sobre o assunto. O procurador-geral da República disse que a organização criminosa que permitiu ao presidente cometer os crimes pelo qual foi denunciado no Inquérito 4.483 (em que Temer foi denunciado por corrupção passiva e está suspenso após a continuidade do processo não ter sido aprovada na Câmara dos Deputados), na verdade, estaria inserida no contexto maior da Lava Jato.

    O inquérito sobre o PMDB tem, no momento, 15 investigados, entre eles, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves.

    André Richter
    Agência Brasil

    Leia Mais

    Massacre no Compaj vira documentário e será exibido nesta sexta na UEA

    Trânsito é alterado no Centro de Manaus neste fim de semana

    Após manobra de caminhão, carga de cerveja cai em avenida de Manaus e congestiona trânsito