Fonte: OpenWeather

    Política


    Arthur Neto chama Jair Bolsonaro de "fascista e homofóbico" durante entrevista

    Arthur Neto também falou que "Bolsonaro não aguentaria nem um peteleco" durante um debate contra ele - Divulgação

    Em entrevista divulgada na madrugada deste domingo pelo portal nacional de notícias UOL, o prefeito de Manaus, o tucano Arthur Virgílio Neto, falou do desejo de concorrer à presidência da república pelo PSDB e teceu comentários sobre os políticos que vai ter que enfrentar numa possível corrida ao Palácio do Planalto.

    Leia também: Arthur Neto diz ter 'muita expectativa' que será o candidato do PSDB à Presidência da República em 2018

    Arthur começou a entrevista comentando o momento político e as estratégias de João Dória (PSDB), prefeito de São Paulo e possível concorrente de Virgílio pela vaga tucana na eleição presidencial de 2018.

    "É coisa muito mais pra ir pro Twitter e pro Facebook, pro Instagram. Quando a Prefeitura de Manaus tem algo bom a divulgar e não o faz, eu brinco com meus secretários dizendo pra gente mandar essa notícia pra equipe do Doria. Eles são muito bons nisso", declarou sarcasticamente o prefeito de Manaus.

    O tucano manauara também falou sobre Aécio, ressaltando que o último candidato à presidência pelo PSDB perdeu força política por causa das denúncias de corrupção, e de Geraldo Alckmin, a quem classificou como "paulistocentrista".

    Mas o ponto alto da entrevista de Arthur ainda estava por vir. Perguntado sobre maconha, o tucano surpreendeu se colocando a favor da legalização e aproveitou a resposta para provocar um possível adversário em 2018: Jair Bolsonaro (PSC).

    "Sou a favor da legalização da maconha por ter sido convencido pelos argumentos do ex-presidente Fernando Henrique. Quantos integrantes do meu partido têm coragem de dizer isso? Estamos vivendo aquela realidade que era a da Colômbia há alguns anos e esse clima de medo dá voto a uma pessoa sem qualificação como o Bolsonaro. Ele se aproveita do desalento das pessoas", declarou Arthur, antecipando possíveis vantagens sobre Jair em uma campanha eleitoral.

    "É um sujeito de caráter fascista, homofóbico. O que é pior, quando ele veio a Manaus, foi buscado no aeroporto por 2.000 pessoas. Elas foram lá espontaneamente. Jovens. Isso é a falência de todos os partidos. O Bolsonaro não aguenta um peteleco num debate com ninguém. Pelo menos, não comigo. Se depender de mim, não vai ter nem 1% dos votos, porque eu levo todos os votos dele de maneira sensata", concluiu.

    Gabriel Costa
    EM TEMPO

    Leia mais:

    Prefeito Arthur Neto anuncia plano de recuperação de escolas em Manaus

    Prefeitura de Manaus abre inscrições para cursos gratuitos nesta segunda-feira

    Arthur Neto diz que crise do AM é grave e que governador eleito deve ter responsabilidade

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores