Fonte: OpenWeather

    Economista


    Samuel Hanan vai representar Estado em SP

    Ex-vice-governador foi nomeado secretário extraordinário e sua missão é captar apoios para alavancar a economia local

    Samuel Hanan (à dir.) reuniu sua equipe de trabalho na última sexta-feira, em São Paulo. | Foto: Divulgação

    Com a missão de recrutar novos investimentos para o Amazonas, tendo como base o gás natural do Estado, o economista Samuel Hanan passou a atuar, oficialmente, desde a última sexta-feira, como secretário extraordinário do governo de Amazonino Mendes (PDT), na representação do Estado em São Paulo.

    Hanan já foi vice-governador de Amazonino entre os anos de 1998 e 2002, também chefiou a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), na segunda gestão de Amazonino no governo, entre 1995 e 1998.

    Na reunião com sua equipe anteontem, ele afirmou que a orientação do governo é trabalhar pela reconstrução do Estado, uma vez que, segundo sua avaliação, o Amazonas passou por uma desconstrução do ponto de vista da economia, da educação e da saúde. “Nós temos que analisar o cenário atual e reconstruir o Estado”, declarou.

    Hanan afirmou que a reconstrução é sempre mais difícil, mas que o Estado tem 12 meses para fazer melhorias. “E vamos começar por organizar as finanças, buscar novos investimentos e aproveitar uma riqueza do Amazonas, que é o gás no interior do Estado, construir uma grande indústria de gás químico, ter energia elétrica de maneira definitiva, entre outras coisas”, adiantou.

    Na ocasião, ele recebeu das mãos do seu antecessor, José Raimundo Sousa de Farias, o relatório de gestão realizada no último ano e meio e falou sobre os objetivos à frente da representação do Amazonas na capital paulista.

    Nomeação

    Também começou a dar expediente no governo do Estado, no cargo de secretária executiva do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza, a jornalista Liliane Araújo, que disputou o governo do Estado na eleição suplementar deste ano, na qual Amazonino Mendes saiu vitorioso. A nomeação de Liliane, que está sem filiação partidária desde o fim da eleição, foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 8 deste mês.

    A ex-candidata majoritária vai atuar em conjunto com a chefe do Fundo de Promoção Social, Mônica Mendes. Liliane Araújo disputou o governo do Estado pela primeira vez, neste pleito pelo PPS, seu ex-partido e, obteve 64 mil votos. Entretanto, como estava com pendências na Justiça Eleitoral, sua candidatura foi indeferida e seus votos, anulados.

    Ela já havia disputado, em eleições anteriores, os cargos de vereadora e deputada estadual, sem êxito. Liliane tem até março para definir em qual partido vai se filiar para poder disputar o pleito de 2018.