Fonte: OpenWeather

    Eleições


    TRE escolhe juízes do pleito 2018

    No total, serão cinco magistrados, entre os que atuarão na fiscalização dos próximos processos eleitorais

    Os fiscais atuarão em combate a todos os tipos de irregularidades nos processos eleitorais | Foto: Márcio Melo

    O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deve escolher em fevereiro, após a eleição para novo presidente da corte, os dois juízes da fiscalização eleitoral, que irão atuar com os três juízes auxiliares, já selecionados pelo órgão, que irão trabalhar nas eleições deste ano, cujo primeiro turno acontece dia 7 de outubro e, o segundo turno, dia 28 do mesmo mês.

    Os magistrados convidados terão a responsabilidade de atuar em todo o processo das campanhas eleitorais, para evitar irregularidade. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do TRE.

    Leia mais: Advogado de Melo diz que entrará com pedido de habeas corpus

    Os juízes eleitorais auxiliares escolhidos, antes de o TRE entrar em recesso forense, para julgar os eventuais crimes de propaganda irregular, foram Ana Paula Serizawa, suplente da juíza federal Marília Gurgel; Bartolomeu Ferreira Júnior, que está provisoriamente como titular da classe dos advogados até a designação de novo nome e, Victor Liuzzi, suplente dos juízes Abraham Peixoto e Marco Antônio, da classe dos advogados. “Eles são escolhidos automaticamente, porque são os suplentes das vagas existentes na corte eleitoral”, disse o secretário judiciário do TRE, Waldiney Siqueira.

    Os juízes que irão atuar na fiscalização terão a responsabilidade de evitar irregularidades
    Os juízes que irão atuar na fiscalização terão a responsabilidade de evitar irregularidades | Foto: MarcioMelo

    A portaria 928/2017 determina que a atuação deles no pleito 2018 inicia no dia 1º de agosto e segue até a finalização da eleição. Dessa forma, até 31 de julho deste ano, quaisquer matérias de cunho eleitoral serão analisadas pelos juízes efetivos do tribunal.

    Já os juízes que irão atuar na fiscalização, que terão a responsabilidade de evitar irregularidades no andamento do pleito, devem ser escolhidos pelo desembargador João Simões, apontado como o sucessor do atual presidente do TRE, o desembargador Yedo Simões. A eleição dele ao cargo será decidida pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) e formalizada, posteriormente, pela corte do TRE.

    Na eleição suplementar do ano passado, três juízes estiveram à frente da fiscalização, Anagali Marcon Bertazzo, Themis Catunda Lourenço e Celso Antunes. À época, o diretor-geral do TRE, Messias Andrade, informou que eles foram escolhidos por conta do "desgaste", que as juízas da propaganda, do pleito de 2016, Lídia Frota e Careen Fernandes, passaram com o pleito municipal.

    Leia também: 

    Veja vídeo: Valéria Monteiro lança pré-candidatura e critica Bolsonaro

    Casal dedura suposto traficante e Rocam prende trio com 2 kg de droga

    Passageiros assaltam Uber, roubam carro de luxo e abandonam motorista