Fonte: OpenWeather

    Parintins


    Filiados reagem a mudanças no PDT de Parintins

    A insatisfação foi gerada pela 'imposição' de nova presidência municipal pelo diretório estadual sem consulta aos filiados parintinenses

    Ex-vereador Juliano Santana, uma das lideranças do PDT em Parintins, disse que vai encaminhar um documento ao presidente nacional do partido | Foto: Divulgação

    Parintins – Um grupo de aproximadamente 40 filiados do Partido Democrático Trabalhista (PDT) em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus) ameaça deixar a sigla por conta de uma decisão do diretório estadual, que teria sido aprovada sem a consulta dos filiados locais. Para os filiados, a nomeação do odontólogo Breno Briglia para ocupar a presidência municipal do partido foi uma imposição e, caso não seja revista, poderá levar o grupo a abandonar o partido.

    O ex-vereador Juliano Santana, uma das lideranças do PDT em Parintins, disse que vai encaminhar um documento ao presidente nacional do partido, Carlos Lipe, em Brasília, pedindo que o mesmo reveja a decisão. “Ninguém foi ouvido, nem mesmo o ex-presidente Stone Machado que é uma liderança da região. Então, fomos pegos de surpresa com essas mudanças, desrespeitaram a história do PDT que foi construída com muita luta sob a liderança do ex-vice-prefeito Messias Cursino”, disse Santana.

    Leia mais: Coari investe mais de R$ 22 milhões em reforma e construção de escolas

    Os filiados do PDT parintinenses fazem questão de enfatizar que a reação não é contra Breno Briglia e, sim, contra a forma imposta pelo diretório estadual. “Tínhamos que ser ouvidos”, completou o ex-vereador.

    O ex-vice-prefeito de Parintins, Messias Cursino, divulgou uma nota em sua rede social informando que não faz parte do diretório do partido desde 2013, mas reconheceu "que não custava nada, antes de anunciar as mudanças, o presidente da executiva estadual, deputado Hissa Abraão, ter feito uma conversa com o diretório de Parintins".

    Cursino evitou conflitar com o diretório regional. Mas, deixou clara sua posição em relação à possíveis mudanças no comando do partido em Parintins.

    Juliano Santana disse que nesta sexta (12) haverá uma conversa entre os filiados ao PDT em Parintins, onde será apresentado o documento que será enviado à executiva nacional.

    “Vamos pedir, nesse documento, que o presidente Carlos Lipe reveja essa posição tomada pela regional. Caso não haja nenhuma providência, só nos resta deixar o partido e posso dizer que sairão filiados que estão há mais de 20 anos no PDT de Parintins”, disse Santana.

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais:

    Tio é preso por estupro de criança de quatro anos em Parintins

    Operação Onda Verde da Força Nacional permanece na Amazônia

    Adolescente é o primeiro sobrevivente da raiva humana no Amazonas