Fonte: OpenWeather

    Saúde E Bem Estar


    Nova técnica para cirurgia digestiva começa a ser realizada em Manaus

                                                Prótese é flexível e se ajusta aos órgãos no corpo - Divulgação

    Uma nova técnica de cirurgia para o sistema digestivo chegou a Manaus. O procedimento, minimamente invasivo, de colocação de prótese biliar metálica, será realizado na tarde desta quinta-feira (25), no Hospital Samel, avenida Leonardo Malcher, Centro da capital.

    Os médicos-cirurgiões, especialistas no sistema digestivo, Thiago Magalhães e Douglas Dallas são os responsáveis por realizar o procedimento inédito na cidade.

    Chamado de Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica (CPRE), a técnica é realizada simultaneamente à endoscopia digestiva e tem o objetivo de fechar fístulas - patologia causada pela conexão entre um órgão ou de um vaso sanguíneo com outra estrutura que normalmente não estão conectados - e dura de 40 minutos a uma hora para ser realizado.

    Douglas Dallas à esquerda e Thiago Magalhães à direita - Arquivo Pessoal

    Segundo o gastroenterologista, Thiago Magalhães, a colocação da prótese metálica é necessária em casos de pacientes com obstruções malignas nas vias biliar, esofágica e estomacal. “Nós fazemos a desobstrução com a passagem das próteses, isso ajuda pacientes que tenham tumores no esôfago, duodeno, pâncreas”.

    Magalhães também explica que o procedimento é muito mais benéfico para o paciente. “Com essa tecnologia não vamos mais precisar fazer cirurgias de ‘barriga aberta’ como são conhecidas, em que temos que colocar o órgão para fora e podemos liberar muito mais rápido, dependendo do caso” afirma.

    Como é feito

    Segundo Magalhães, o procedimento consiste na utilização de tubos flexíveis que entram no sistema digestivo pela boca, tal como em um exame endoscópico comum, e permitem a visualização do tubo digestivo em televisão, facilitando o diagnóstico e tratamento de doenças dos sistemas biliar e pancreático, porém, o equipamento utilizado permite uma visão mais ampla dos órgãos.

    Com a técnica é possível extrair cálculos, colocar próteses e liberar o paciente em menos de 24h após o término do procedimento.

    Laize Minelli
    EM TEMPO