Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Preso é suspeito de matar garota de programa grávida e causar aborto em outra

    ‘Pivete’ afirma que sua intenção era acertas as contas com Adrielly Pedrosa Tavares Diniz, 28, e que não tinha intenção de acertar Rayane Priscila Mitoso, 21 – foto: Mairkon Castro
    ‘Pivete’ afirma que sua intenção era acertas as contas com Adrielly Pedrosa Tavares Diniz, 28, e que não tinha intenção de acertar Rayane Priscila Mitoso, 21 – foto: Mairkon Castro

    Preso por matar em acerto de contas  Adrielly Pedrosa Tavares Diniz,28, Patrick Pina Teixeira, 21 (o ‘Pivete’) foi apontado, nesta segunda (29), como autor de mais um assassinato e uma tentativa de homicídio.

    As vítimas eram duas garotas de programa: Adrielly Pedrosa Tavares Diniz, 28, e Rayane Priscila Mitoso, 21, que estavam grávidas de seis meses.
    O crime aconteceu em 3 de setembro deste ano, em um clube localizado na estrada dos Franceses, bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus.

    Patrick foi preso no último sábado (27), na avenida Joaquim Nabuco, Centro, pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), em cumprimento do referido mandado de prisão, expedido no dia 22 de setembro.

    Durante a ação, ele foi flagrado, juntamente com dois comparsas, com cocaína e maconha dentro de um veículo Celta vermelho, de placas DKM 8125.
    O suspeito, agora, está sendo indiciado pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e aborto.

    “Acerto de contas”

    Adrielly foi assassinada depois de uma discussão com ‘Pivete’ por causa de um programa que a vítima teria combinado com ele e não cumpriu. Segundo Patrick, Adrielly jogou um copo de whisky em seu rosto durante a discussão. Em resposta, o agressor desferiu 16 tiros contra a vítima, que morreu na hora.

    Rayane, que estava presente no local e no momento do crime, acabou atingida por um dos disparos. Ela sobreviveu, mas sofreu um aborto instantâneo.
    ‘Pivete’ afirma que sua intenção era “acertas as contas” com Adrielly e que não tinha intenção de atingir Rayane.

    A delegada adjunta da DEHS, Débora Mafra, ressalta que as investigações do crime continuam. “Há ainda mais dois suspeitos que já foram identificados”, concluiu.

    Com informações de Mairkon Castro (EM TEMPO Online)