Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Jovem que matou pai com 13 facadas diz que era abusada sexualmente, mas crime pode ter outra motivação

    A estudante pretendia esquartejar e colocar os restos mortais do pai dentro de uma mala e enterrar no quintal da residência – fotos: Henderson Martins
    A estudante pretendia esquartejar e colocar os restos mortais do pai dentro de uma mala e enterrar no quintal da residência – fotos: Henderson Martinsacadas, 

    A estudante Kinberlin Keyce de Jesus da Silva, 19, que confessou ter matado o pai com 13 facadas, foi apresentada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) na manhã desta terça-feira (10) e alegou que era abusada sexualmente pelo genitor, o serralheiro Kedson Barbosa da Silva, 41.

    Conforme Kinberlin, ainda ontem (9), dia do crime, ele teria feito sexo com ela. "Ele me abusava desde os 13 anos. Eu nunca contei a ninguém, pois tinha medo das ameaças dele. Nesse dia, ele me abusou e eu não queria mais viver aquela situação e resolvi matá-lo", contou a estudante.

    Contradizendo as declarações da suspeita, as investigações conduzidas pela Polícia Civil, apontam que o crime teria outro motivo. De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS ), Ivo Martins, a jovem pretendia ficar com a casa e morar com a namorada, identificada apenas como ‘Raissa’.

    "Inicialmente fomos acionados para comparecer na ocorrência de encontro de cadáver. Ao chegarmos lá, nos deparamos com o corpo atingido com as 13 facadas. O que nos chamou atenção foi a frieza que Kinberlin demonstrava. A medida em que os outros parentes demonstravam sentimentos, dela não saia nenhuma lágrima. A partir daí, intensificamos a investigação nesse ponto e foi quando em determinado momento, ela resolveu confessar o fato", disse o delegado.

    Essa é a mala que seria usada para Kinberlin enterrar o pai
    Essa é a mala que seria usada para Kinberlin enterrar o pai

    Kinberlin estava morando com o pai ha três dias, documentos e roupas da namorada foram encontrados na casa, o que reforça a intenção da estudante de ficar com a moradia.

    "Ela informou que o pai havia dado a casa para ela. Nós encontramos algumas roupas e documentos da namorada dela no local. Ela já havia chamado a namorada para ir morar lá e já tinha premeditado. Tirou a vida do pai para ficar com a casa", contou o delegado.
    A suspeita foi presa na tarde de ontem, por volta das 13h, na casa do pai, localizada na rua Palermo, bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus.

    Ainda conforme o delegado, a estudante pretendia esquartejar e colocar os restos mortais do pai dentro de uma mala e enterrar no quintal da residência.

    "Ela matou o pai na madrugada e ficou acordada até às 8h, limpando o local do crime. Meia hora depois ela foi até o vizinho e emprestou uma enxada. A Kimberlin ainda chegou a começar a cavar o buraco, mas como é muito franzina, acabou desistindo e acionando a polícia, alegando que o pai tinha sido vítima de latrocínio”, disse Martins.

    A polícia investiga a possibilidade de participação de outra pessoa, entretanto, em depoimento, a suspeita afirma que cometeu o crime sozinha. A suspeita foi indiciada por homicídio qualificado e vai ser encaminhada a cadeia pública feminina, onde ficará à disposição da Justiça.

    Por Henderson Martins (especial EM TEMPO Online)