Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Homem que atropelou grávida responderá por homicídio culposo; delegada pede exame toxicológico

    A delegada do 7° DIP solicitou um exame toxicológico - foto: Diego Janatã
    A delegada do 7° DIP solicitou um exame toxicológico - foto: Diego Janatã

    O exame do bafômetro realizado por Gleidson Sena Amaral, 27, que vitimou a  assistente social Alessandra Solart Amorim, 24,-  grávida de seis meses - e seu irmão Jorge Adriano Solart Rodrigues,  nesta sexta-feira (14), resultou em 0,06mg. Conforme a titular do 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP),  delegada Caroline Guedes,  Gleidson responderá por homicídio culposo – quando não há intenção de matar.  

    Durante coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje,  Guedes informou que  foi solicitado um exame toxicológico, visto que a quantidade de álcool presente no sangue de Gleidson, ainda é permitida.

    O acidente aconteceu na avenida General Rodrigo Otávio, bairro Japiim, Zona Sul, próximo a um posto de combustíveis, sentido rotatória da Suframa, por volta de 5h50. O condutor do carro dirigia em alta velocidade o Pálio de cor cinza e placas JXI-6717 e não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

    Gleidson foi agredido por populares revoltados com a irresponsabilidade que levou a grávida a óbito. Ele escapou do espancamento com a chegada de policiais militares da 7° Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que atenderam a ocorrência.

    Além da vítima fatal, assistente social Alessandra Solart Amorim, 24, o irmão dela, Jorge Adriane Solart Rodrigues, também ficou gravemente ferido e foi levado ao Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste, onde passou por cirurgia, conforme a Secretaria de Estado da Saúde no Amazonas (Susam) e permanece em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

    Por equipe EM TEMPO Online

    Mais lidas

    1. Em trabalho de parto, mulher dá à luz em carro com ajuda de PMs