Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Familiares e amigos de grávida que morreu atropelada pedem justiça

    A coleta de assinaturas vem ocorrendo desde a missa de sétimo dia da assistente social - foto: Conceição Melquíades
    A coleta de assinaturas vem ocorrendo desde a missa de sétimo dia da assistente social - foto: Conceição Melquíades

    Parentes e amigos da assistente social Alessandra Solart  Amorim, 34, promoveram uma manifestação na manhã deste sábado, na avenida Rodrigo Otávio, no Japiim, Zona Centro-Sul, pedindo Justiça, para o atropelamento do qual ela foi vítima, juntamente com o irmão Jorge Adriane Solart Rodrigues, 31, no último dia 14, no momento em que atravessavam a via.

    Na ocasião foram coletadas assinaturas, de populares, que de acordo com o cunhado de Alessandra, Alison Mourão serão encaminhadas aos órgãos públicos, com o propósito de mudar a legislação de trânsito, para que crimes como este não fiquem impunes.

    A coleta de assinaturas vem ocorrendo desde a missa de sétimo dia da assistente social, realizada no último dia 20, na igreja onde ela atuava como catequista, na Paróquia  São José, no Aleixo. Segundo Alison, todos os familiares e amigos estão empenhados na coleta das assinaturas.

    “Não é porque a minha cunhada morreu, que esse crime vai ficar impune”, declarou Alison.

    Soltura

    O responsável pelo acidente que  vitimou Alessandra, o autônomo Gleidson Sena Amaral, 27, teria sido solto na sexta-feira à noite, após pagar uma fiança de R$ 7.880, aplicada pela Justiça. Entretanto, o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap) coronel Louismar Bonates, não soube confirmar a soltura dos suspeito.

    Por equipe EM TEMPO

    Mais lidas

    1. Em trabalho de parto, mulher dá à luz em carro com ajuda de PMs