Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Mercado de vinhos celebra investimentos em Manaus

    Empresários têm investido na abertura de novos empreendimentos voltados para os amantes dos vinhos – foto: Diego Janatã
    Empresários têm investido na abertura de novos empreendimentos voltados para os amantes dos vinhos – foto: Diego Janatã

    Com o mercado nacional aquecido, lojas e adegas especializadas em vinhos têm se expandido para o Norte do país, onde Manaus está no centro dos novos investimentos.

    Puxado por esse aumento de consumo - segundo dados do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), a produção de vinho no país superou os 9 milhões de litros -, uma das franquias mais importantes do ramo se estabeleceu em Manaus, na semana passada, com a promessa de manter uma forte presença no mercado.

    Segundo a empresária Fernanda Chami, que trouxe a franquia da Gran Cru, Manaus é a segunda cidade da Região Norte a trabalhar com a carta de vinhos da marca.

    “Éramos clientes da Gran Cru e então soubemos da vontade da diretoria da empresa em abrir uma franquia na cidade. Eu já conhecia o mercado local e percebi a carência grande de rótulos porque são poucas as importadoras que chegam até Manaus. Agora, trazemos uma variedade para os consumidores locais”, afirma a empresária.

    A dona do empreendimento destaca que a empresa atenderá tanto a venda para consumidores e apreciadores da bebida, como venderá para o atacado, ou seja, para empreendimentos como os supermercados com a cartela de vinhos da empresa.
    O gerente de franquias da empresa, Clayton Henrique, conta que a meta da empresa será atingir quase 70% do mercado em Manaus nos próximos 5 anos.

    “Estudamos a cidade de Manaus e fizemos uma análise de perfil do público, restaurantes, atendimentos e o que tinha de melhor para se oferecer, foi então que identificamos uma oportunidade para esse mercado”, confirma Clayton.
    Para o sommelier da Gran, Massimo Leoncine, em Manaus há espaço tanto para o consumo de cervejas como de vinhos, seja o branco ou o tinto.

    “A empresa trabalha com um catálogo com mais de 1,5 mil rótulos, sendo mais da metade de marcas exclusivas. Entre as estrelas do catálogo estão o espanhol Vega Secília, Ornellaia, que é um mítico supertoscano, Cobos da Argentina e o Altair, do Chile”, aponta o sommelier.

    Segundo o apreciador de vinhos Ricardo Mansur, ele tem percebido a variedade dos espaços especializados em vinhos na cidade, e o consumo tem crescido para todos os gostos e bolsos. O empresário afirma que, apesar de o clima quente da cidade ser favorável ao consumo do vinho branco, ele prefere os vinhos tintos.

    Crescimento

    O consumo de vinho no Brasil cresceu 4,6% apenas no primeiro semestre de 2015 em comparação ao passado.
    Segundo o Ibravin, a produção de vinho superou os 9 milhões de litros e se destacou no grupo formado também por sucos, espumantes e outros produtos derivados da uva.

    Por Stênio Urbano (Equipe Jornal EMTEMPO)