Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Até dezembro, 13º vai injetar R$ 1,87 bi na economia do Amazonas, informa Dieese

    O endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da emissão de títulos públicos ou pela assinatura de contratos – foto: arquivo EM TEMPO
    Parte do recurso do 13º Salário será utilizado para a quitação de dívidas – foto: arquivo EM TEMPO

    Neste fim de ano, a economia amazonense deve ganhar um estímulo de R$ 1,87 bilhão relativo ao 13º Salário, segundo estimativas divulgadas nesta quarta-feira (11) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em termos de Brasil, esse volume é de R$ 173 bilhões.

    Conforme Inaldo Seixas, supervisor técnico do Dieese no Amazonas, parte desse recurso já começou a ser injetada e deve se concluída com a chegada do mês de dezembro. “Alguns setores da economia, especialmente entidades governamentais, já pagaram aos seus colaboradores a primeira parcela do décimo, mas a grande maioria disponibiliza o recurso nesses últimos dois meses do ano”, argumentou Seixas.

    Ainda de acordo com o supervisor local do Dieese, o volume de R$ 1,87 bi, representa cerca de 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual que será injetado na economia. O montante é 8,2% superior ao calculado no ano anterior.

    “Esperamos que as pessoas vejam isso como uma boa notícia e que se animem um pouco neste fim de ano”, comentou, ressaltando que a população está prevendo não utilizar todo o recurso do décimo com o consumo.

    “Pesquisas de alguns institutos apontam que a população está muito mais cautelosa, e que vai utilizar uma parte desse dinheiro para sanar dívidas pendentes e guardar um pouco para as dívidas que surgem com a chegada do ano novo”.

    Inaldo Seixas ressaltou ainda, que, mesmo com a crise, o consumidor é sábio e vai saber adequar a sua renda aos momentos festivos do período, sem deixar de dar a alegria merecida a sua família e a si próprio.

    Brasil
    Ainda conforme o Dieese, pela primeira vez, em oito anos, o número de trabalhadores com carteira assinada nos setores público e privado que vai receber o 13º salário será menor. A queda é de 1,9%, sendo de 48,91 milhões o número de assalariados que vão receber o benefício. Juntos, devem receber R$ 119,9 bilhões.

    No ano passado, o total de empregados com carteira que recebeu o salário extra chegou a 49,85 milhões.

    "Essa redução é reflexo direto da piora do mercado de trabalho, com a demissão acentuada de trabalhadores com carteira assinada", diz José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de relações sindicais do Dieese.

    O pagamento de 13º salário aos brasileiros da ativa e aposentados deve injetar até dezembro R$ 173 bilhões na economia. O valor corresponde a 2,9% do PIB (Produto Interno Bruto) e é 9,5% maior, em termos nominais, do que o estimado para o ano passado.

    A lei prevê que o 13º salário seja pago em até duas parcelas -a primeira até o dia 30 deste mês e a segunda até o dia 20 de dezembro.

    Por equipe EM TEMPO Online e Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Em trabalho de parto, mulher dá à luz em carro com ajuda de PMs