Fonte: OpenWeather

    Sem Categoria


    Populares destroem casa de vizinho que estuprou e matou criança de 7 anos, no Aleixo

    Populares invadiram o terreno , onde a criança abusada sexualmente foi enterrada e destruíram a casa do suspeito com pedaços de madeira - foto: divulgação
    Populares invadiram o terreno , onde a criança abusada sexualmente foi enterrada e destruíram a casa do suspeito com pedaços de madeira e ferro - foto: divulgação

    Revoltados com a morte de Jhuliane Souza da Silva, de 7 anos – a menina que estava desaparecida há três dias e teve seu corpo encontrado nesta segunda-feira (13), em um terreno, localizado na frente da residência onde morava – populares do bairro Novo Aleixo, Zona Norte, destruíram a casa do suspeito do crime na manhã de hoje.

    Os moradores invadiram o terreno, onde a criança abusada sexualmente foi enterrada, localizado entre o beco Jari e a rua 12, e destruíram a casa do suspeito Francinaldo Marialva Pereira com pedaços de madeira e ferro.  Eles chegaram a lançar móveis e eletrodomésticos.

    Para uma das moradoras, que não quis ter a identidade revelada, o medo só vai terminar quando algo for feito. “É uma barbaridade o que aconteceu com essa criança. Como uma mãe não pode ficar revoltada com essa situação? Queremos uma solução imediata  para que isso não ocorra de novo. Queremos Justiça!”, declarou a mulher.

    Ainda segundo os moradores, a mãe do suspeito quem encontrou o corpo da criança e, após a fatalidade, mudou-se para outro lugar, mas Francinaldo permaneceu morando na residência para não levantar suspeitas.

    Entenda o caso

    A pequena Jhuliane foi encontrada na madrugada de hoje (13), morta e enterrada no terreno que pertence a Francinaldo Marialva Pereira, no Aleixo.

    De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o cadáver da criança foi encontrado por um cachorro que, possivelmente, foi atraído pelo forte odor e começou a escavar. Em seguida o corpo de Jhuliane foi encontrado pela mãe de Francinaldo.

    Ainda conforme a DEHS, o laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) constatou que a menina foi estuprada e estrangulada.

    Por Equipe EM TEMPO Online