Fonte: OpenWeather

    Dia do Maçom


    Maçons do AM revelam particularidades da maior ordem secreta do mundo

    O dia do maçom é comemorado no dia 22 de agosto no Brasil

    Jovens Demolay durante cerimônia em Loja maçônica | Foto: Márcio Melo

    Manaus – Indivíduos livres que buscam o caminho da retidão, que têm profundo respeito pelas coisas sagradas e sentem a missão de fazer o bem, assim os maçons se apresentam à sociedade. Membro da ordem secular conhecida como maçonaria, que acompanha a humanidade há muitos séculos, o maçom busca fazer a diferença no meio em que vive. Membros da ordem no Amazonas fazem revelações sobre comportamentos e objetivos gerais de quem participa dessa que é a maior sociedade discreta do mundo.

    Por serem seguidores de uma sociedade discreta, que desperta curiosidade e gera diversas especulações até os dias de hoje, muitas vezes os maçons são alvos de preconceito, pois os assuntos da ordem interessam somente aos membros. Entretanto, o maçom tem papel ativo na sociedade e precisa “lapidar-se” para ser um ser humano cada vez melhor.

    "Somos um farol dentro da humanidade", Antônio Loureiro

    O maçom deve ser um indivíduo livre que não deve depender de ninguém, não seguir desordens e nem políticas partidárias. Cada maçom deve “iluminar” seu arredor, como explica Antônio Loureiro, escritor membro da Academia de Letras e historiador da maçonaria no Amazonas.

    “Somos um farol dentro da humanidade. Cada um deve iluminar ao invés de ser iluminado pelos outros. O maçom deve fazer alguma coisa em sua curta vida, se não vai fazer nada, não é maçom”, afirmou.

    Antônio Loureiro foi três vezes grão-mestre do Amazonas
    Antônio Loureiro foi três vezes grão-mestre do Amazonas | Foto: Marcio Melo

    Data comemorativa

    No dia 20 de agosto é celebrado o Dia do Maçom no Brasil. A data foi escolhida, pois nesse mesmo dia, no ano de 1822, em uma reunião histórica entre três lojas do Rio de Janeiro, foi tomada uma das mais importantes decisões do Brasil, como explica o historiador Philipi Barbosa.

    “Foi nesse dia que a Independência do Brasil se deu, em 1822. No dia 7 de setembro foi a declaração pública feita por Dom Pedro I, mas a independência já havia sido definida no dia 20 de agosto entre as lojas 'Comércio e Artes', 'Esperança de Niterói' e 'União e Tranquilidade', na cidade de Niterói”, pontuou o historiador especialista em história da maçonaria.

    Coincidentemente, 20 de agosto é o dia do nascimento de São Bernardo de Claraval, o homem que reformou a maçonaria em 1717. No mundo, o Dia do Maçom é comemorado no dia 22 de fevereiro, data que homenageia todos os maçons espalhados pelo globo terrestre. 

    Onde surgiu a maçonaria?

    A maçonaria acompanha a história da humanidade há muitos séculos. Acredita-se que os primórdios da ordem datam em 4 mil anos antes de Cristo e, por esse motivo, o calendário maçônico tem 6.018 anos, como explica o historiador Antônio Loureiro.

    “Nós fomos fundados na época do carneiro, então nosso calendário está atrasado uns 4 mil anos. É chamado o ano da verdadeira luz", destacou Loureiro.

    A maçonaria surgiu do movimento dos pedreiros livres da Idade Média. A pedra bruta representa o homem que ainda não foi "lapidado"
    A maçonaria surgiu do movimento dos pedreiros livres da Idade Média. A pedra bruta representa o homem que ainda não foi "lapidado" | Foto: Marcio Melo

    A maçonaria surgiu na idade média com o movimento dos pedreiros livres, como explica o historiador Philipi Barbosa. “A maçonaria vai surgir com as corporações de ofício que são as guildas da idade média. Essas corporações tinham o intuito de construir e visavam preparar jovens para ter um ofício. A Igreja Católica se aliava a essas guildas para as grandes construções de templos, construções que eram necessárias para igreja e para a sociedade”, afirmou.

    A palavra maçom é originária do francês maçon, que significa pedreiro. Os pedreiros livres da idade média foram os primeiros maçons e recebem de maçons operativos, pois trabalhavam diretamente na construção de templos e em outros monumentos. Tais corporações evoluíram e passaram a aceitar outras profissões.

    Conforme o historiador Antônio Loureiro, a maçonaria como é conhecida hoje surgiu na Inglaterra. À época, a maçonaria foi completamente reformada.

    “Quem reorganizou a maçonaria foi São Bernardo de Claraval, ele era 'o cabeça'. Era astrólogo, historiador e acabou organizando todo esse espírito da maçonaria”, destacou Loureiro.

    A partir de 1717 foram fundadas as lojas especulativas, como explica o historiador Philip Barbosa.

    “As lojas especulativas começam a aceitar diversos seguimentos da sociedade para construir um pensamento maior. Então a maçonaria, nesse momento, deixa de ser operativa e passa a ser especulativa. Ou seja, se torna mais filosófica, progressista e que visa o bem da sociedade em geral”, destacou.

    Maçonaria - Infográfico Maçonaria - Infográfico Maçonaria - Infográfico Maçonaria - Infográfico Maçonaria - Infográfico

    A maçonaria

    "A maçonaria é uma instituição de regeneração do ser humano", Antônio Loureiro

    Constantemente confundida com uma seita mística, a maçonaria é uma ordem secular discreta que visa a evolução do ser humano. Entretanto, apesar de reservada, a maçonaria colabora de várias formas com a sociedade, como explica o historiador Philipi Barbosa.

    “A maçonaria hoje tem o intuito de ser discreta no sentido de a sociedade compreender sua existência. Em diversos momentos, é possível contar com a ordem para trabalhos sociais, construção de pensamentos voltados para o progresso da humanidade e da sociedade em geral”, afirmou.

    Na maçonaria, os livros utilizados são a Bíblia Sagrada, o Torá ou Alcorão. Os livros podem ser usados de acordo com a fé de quem está iniciando. A maçonaria aceita pessoas de diferentes religiões, com exceção dos ateus, pois um dos pré-requisitos para entrar na ordem é crer em Deus.

    Conforme Antônio Loureiro, a maçonaria pode ser classificada como uma instituição de regeneração do ser humano.

    “Não é religião porque ela não diz o que tem que fazer do lado de lá, não promete que você vai se salvar e não tem diabo, só tem Deus”, pontuou.

    Sebastião Theoto, é venerável da Loja Universitária. Um venerável fica no comando de uma Loja por dois anos
    Sebastião Theoto, é venerável da Loja Universitária. Um venerável fica no comando de uma Loja por dois anos | Foto: Marcio Melo

    O interior dos templos da maçonaria representa o universo. Os membros da ordem se reúnem nas chamadas lojas, abreviações de alojamentos. O historiador Philipi Barbosa explica que a maçonaria é organizada e possui seus cargos e obrigações. A política de organização é bem rígida, com delimitação de regras distintas.

    “A loja é como se fosse um município. Cada loja é regida por um venerável que é como se fosse um prefeito. Os vereadores seriam os componentes da loja que são primeiro e segundo vigilante, secretário, orador, tesoureiro e chanceler. Além disso, tem o grão-mestre que é como o governador e o grão-mestre geral equivalente ao presidente. Somos um país dentro do país”, disse.

    A maçonaria possui vários ritos pelo mundo, que são equivalentes às denominações. A ordem também possui graus, cada grau é um novo aprimoramento e serve para aperfeiçoar o conhecimento e as virtudes do maçom. Os chamados capítulos são as fases de graus filosóficos.

    “A nossa estrutura toda é para formar quadro e gente que possa ajudar a humanidade a evoluir. Não temos outra finalidade senão essa. A maçonaria é isso, todo mundo se reúne, troca ideias e começa a aprender a falar bem", diz historiador Antônio Loureiro.

    A origem dos mitos

    Muitas especulações e mitos cercam a maçonaria e são difundidas até os dias de hoje. Entretanto, esses mitos surgiram há muitos séculos. Segundo o historiador Philipi Barbosa, o Papa Clemente XII foi o primeiro papa a condenar a maçonaria.

    “Em 1938 houve a primeira bula papal, que condenava a maçonaria. Desde esse momento, começaram a criticar a ordem. A maçonaria não impõe religião aos membros e Clemente XII insistiu, na Inglaterra e na França, que a ordem podia ser subversiva aos poderes monárquicos”, disse.

    A partir da oposição do Papa Clemente XII à maçonaria, reis e políticos começaram a perseguir a ordem. Neste momento, começaram a ser difundidas campanhas que associavam a maçonaria ao diabo e ao mal. A maçonaria começou a se esconder da sociedade.

    Historiador Philipi Barbosa possui um extenso trabalho de pesquisa voltado para desmistificar a maçonaria
    Historiador Philipi Barbosa possui um extenso trabalho de pesquisa voltado para desmistificar a maçonaria | Foto: Marcio Melo

    No século XIX, as ideias científicas começam a decretar a “morte de Deus”. As religiões, doutrinas e seitas, neste período, surgem com o intuito de descaracterizar a presença divina sobre o homem. Em resposta a isso, o Papa Pio IX reafirmou o poder papal, os dogmas da Igreja Católica e suas filosofias. Ele transformou a religião e fez uma igreja romana que obedece totalmente às determinações de Roma.

    “Uma das determinações, nessa época, era que o maçom não podia ser católico e o católico não podia ser maçom, então o Papa Pio IX foi responsável por ‘excomungar’ católicos que se associavam à maçonaria”, pontuou o historiador.

    Como nesse período da história, a fé era muito presente no cotidiano da maioria das pessoas. Isso contribuiu para que as pessoas construíssem mitos que destruíssem a imagem da maçonaria. Porém, a Igreja Católica e a maçonaria se aproximaram com o Papa João XXIII.

    “Foi um papa que valorizou os atos maçônicos e, de lá para cá, a relação entre igreja e maçonaria deixou de ser mais conflituosa e passou a ser mais respeitosa”, finalizou o historiador.

    Porém, até hoje muitas ideias sobre a maçonaria são distorcidas e alguns mitos sobre a ordem ainda são disseminados.

    Cerimônia Demolay do dia dos pais
    Cerimônia Demolay do dia dos pais | Foto: Marcio Melo

    Leia também: Maçonaria no AM comemora dia do maçom e explica mitos e verdades sobre a ordem

    Ordem no Amazonas

    O atual grão-mestre do Amazonas é Armando Corrêa de Souza Júnior. “Ele tem uma administração sólida e age com sabedoria diante das decisões da ordem a nível estadual. E ele é o que nos representa a nível de Brasil. Ele recebe as decisões que vem do grande oriente. Ele é o fiscalizador e quem organiza tudo”, destacou Barbosa.

    A pedra esculpida é a representação do homem que o maçom deve se tornar
    A pedra esculpida é a representação do homem que o maçom deve se tornar | Foto: Marcio Melo


    Ser maçom é...

    Os maçons são de várias classes sociais e diferentes crenças, mas o respeito pelo próximo deve sempre predominar. O maçom deve praticar sete princípios importante, são eles: esperança, fé, caridade, sapiência, fortaleza, justiça e temperança.

    Duas pedras presentes dentro dos templos maçônicos, sendo uma bruta e uma lapidada, lembra o principal objetivo do maçom que é “lapidar-se”, estar em constante transformação para o bem.

    “O maçom entra na maçonaria para ser lapidado e essa perfeição que o maçom busca não tem limite. É uma busca constante. Viemos nas reuniões trabalhar nós mesmos, pois o nosso desafio é trabalhar sempre o nosso interior. Ser maçom é estudar, melhorar e tentar ser uma pedra perfeita dentro da sociedade", disse o venerável Sebastião Theoto.

    Maçons assistem à cerimônia Demolay
    Maçons assistem à cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo

    Para o contador Agnaldo Pereira, de 51 anos, ser maçom é uma realização. Ele saliente que os costumes seculares ainda são utilizados pelos membros da maçonaria, que tem regras claras. Desobediência não é aceita dentro da ordem e a punição maior é a expulsão do membro, mas ele ele é advertido e sofre sanções.

    “Fizeram a coisa certa quando me convidaram, hoje eu não imagino viver sem a maçonaria. Quase as mesmas coisas que se faziam em 1717, a gente repete hoje em dia e sempre vai repetir. Você pode mudar as pessoas, mas a essência da maçonaria vai continuar e isso que é bom. Você vai para qualquer lugar e é recebido dentro da própria loja. É claro que em todo lugar há as frutas podres. Essas pessoas, com o tempo, a gente tem que tirar”, afirmou.

    Lutar por uma sociedade mais justa e fazer uma análise diária é a definição de ser maçom para Nelson Araújo, professor da Ufam e doutor em ordenamento territorial e ambiental.

    “Ser maçom é lutar por uma sociedade mais justa, por uma sociedade democrática com homens livres e a função da maçonaria é ajudar esses homens a buscarem o caminho. Ser ético, ter moral na vida, respeitar a pátria, os seus semelhantes e necessária uma análise diária”, pontuou.

    Maçons pelo mundo

    A maior potência maçônica do mundo é os Estados Unidos, com cinco milhões e quinhentos mil seguidores. A Inglaterra aparece em segundo lugar no ranking de país com mais maçons, com 1 milhão e quinhentos mil membros da ordem. O Brasil é a maior potência da maçonaria na América Latina.

    Ordens para-maçônicas

    Existem as ordens que são patrocinadas pela maçonaria, que são chamadas de ordens para-maçônicas. Entre as ordens estão os Demolays (voltada para meninos de 12 a 21 anos), Arco-íris (para meninas de 12 a 21 anos) e a Frafrem (voltada para as mulheres dos maçons).

    Durante a cerimônia das luzes, jovem  acende sete velas que representam sete virtudes que um jovem DeMolay deve seguir
    Durante a cerimônia das luzes, jovem acende sete velas que representam sete virtudes que um jovem DeMolay deve seguir | Foto: Marcio Melo

    Demolays

    “Você não precisa ser Demolay para fazer bem à sociedade, mas para ser Demolay você tem que fazer bem à sociedade", Mateus Lima

    A ordem Demolay surgiu na época das Cruzadas, fundada por Jacques Demolay. Assim como a maçonaria, a ordem Demolay busca apresentar instituir no jovem os princípios de progresso e evolução.

    “Costumam dizer é que a ordem DeMolay é da maçonaria, mas na verdade elas são duas ordens totalmente diferentes. O que aconteceu é que a maçonaria patrocina um capítulo DeMolay, ou seja, ela busca meios para que esses jovens também tenham condições de ter acesso à essa forma de conhecimento tão peculiar”, disse o geólogo Enéias Bonora, membro do conselho consultivo do capítulo Manaós.

    Cerimônia Demolay
    Cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo

    Os Demolays se referem aos maçons como “tios”. Para ser Demolay, o jovem precisa ter perfil de liderança e também seguir o princípio da maçonaria de fazer o bem à sociedade. O bancário Mateus Lima, de 21 anos, faz parte da ordem Demolay há 5 anos e fala sobre o perfil de um Demolay.

    "Os Demolays são futuros líderes, tanto nas escolas, quanto nos trabalhos e nos meios em que vivem. Nós procuramos jovens que sejam destaques na comunidade e possíveis lideranças”, disse.

    O Demolay deve ter reverência pelas coisas sagradas e deve respeitar todas as crenças. Após ser iniciado, o jovem é submetido a uma série de estudos e testes para provar que está apto a permanecer na ordem.

    Cerimônia Demolay
    Cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo

    Os jovens se reúnem e debatem assuntos pertinentes ao capítulo. “Durante esse tempo a gente tem uma aula para a busca do autoconhecimento e da prática de oralidade, que é justamente para preparar eles para o público”, finalizou Mateus Lima.

    Leia mais:

    Amazonas fez história e foi o segundo estado a libertar os escravos

    Brasil, 518 anos de histórias: do descobrimento aos dias de hoje

    Quem foi Tiradentes e por que tem um feriado em sua homenagem?

    • Bíblia Sagrada posta no centro de sala maçônica | Foto: Marcio Melo
    • A Bíblia Sagrada é um dos livros utilizados na maçonaria | Foto: Marcio Melo
    • Antônio Loureiro foi três vezes grão-mestre do Amazonas | Foto: Marcio Melo
    • Jovens Demolay e maçons se preparam para início de cerimônia | Foto: Marcio Melo
    • Dia do Maçom | Foto: Marcio Melo
    • Cerimônia de jovens Demolay | Foto: Márcio Melo
    • Cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo
    • O interior dos templos maçônicos representa o universo | Foto: Marcio Melo
    • Dia do Maçom | Foto: Marcio Melo
    • Dia do Maçom | Foto: Marcio Melo
    • Maçons são chamados de "tios" pelos Demolay | Foto: Márcio Melo
    • Jovens Demolays em cerimônia do dia dos pais | Foto: Marcio Melo
    • Cerimônia Demolay do dia dos pais | Foto: Marcio Melo
    • Sebastião Theoto, é venerável da Loja Universitária. Um venerável fica no comando de uma Loja por dois anos | Foto: Marcio Melo
    • Maçons assistem à cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo
    • Cerimônia Demolay | Foto: Márcio Melo
    • Cerimônia Demolay | Foto: Marcio Melo
    • Crenças e ritos dos maçons são vistos como secretos | Foto: Marcio Melo
    • Durante a cerimônia das luzes, jovem acende sete velas que representam sete virtudes que um jovem DeMolay deve seguir | Foto: Marcio Melo
    • Dia do Maçom | Foto: Marcio Melo
    • Durante cerimônia Demolay, jovens entregam rosas em homenagem aos pais | Foto: Marcio Melo
    • No dia 22 de agosto é celebrado o dia do maçom no Brasil | Foto: Márcio Melo
    Comentários