Fonte: OpenWeather

    Revolta


    'Não havia médico no hospital', diz mãe de militar morto após assalto

    Velório aconteceu na tarde desta quinta-feira (15) e foi acompanhado por dezenas de pessoas, entre familiares, amigos e colegas do Exército

    | Autor: Bruna Chagas

    Manaus - Durante velório do militar, soldado do Exército Thiago Melo de Almeida, de 19 anos, nesta quinta-feira (15), morto a tiros, após reagir a um assalto no bairro São Francisco, na noite de quarta-feira, a família se diz vítima por parte do poder público no Amazonas.

    Para a família, Thiago não foi apenas vítima dos assaltantes, mas também da negligência e falta de atendimento no Hospital Pronto Socorro 28 de Agosto. Eles acreditam que, se o rapaz tivesse sido atendido a tempo, poderia ter sobrevivido.

    "Tô com muita dor e não consigo respirar", disse Thiago ainda com vida para a mãe Elissandra Cardoso Melo, já dentro do hospital,  mas segundo ela, o atendimento demorou a acontecer.

    "Passou-se uma hora para atender o meu filho. Ao subiram para o centro cirúrgico, não havia médico por lá.  Quando o médico chegou, abriram o peito dele e o menino não aguentou. O que poderia ter acontecido com ele, durante uma hora?", desabafou a mãe, completando que foi a maior perda de sua vida.  

    | Foto: Bruna Chagas/Em Tempo

    O bombeiro Eduardo Junior, tio da vítima, afirmou, de forma indignada, que ao entrar para a cirurgia, devido à demora, o sobrinho já estava praticamente morto. "Ele estava com muita falta de ar. Quando chegamos, nem maqueiro havia no hospital. Os médicos estavam trocando de plantão. Quando realmente o atenderam, ele já estava morrendo", disse.

    Eduardo completa que houve negligência médica no atendimento do sobrinho. "Acreditamos sim que se tivessem feito o procedimento correto, ele não teria morrido. Essa lacuna que teve ai, devido a troca de plantão, ninguém queria atendê-lo. Ele morreu não apenas pelo tiro, mas por negligência do hospital", ressaltou.

    O sonho acabou

    O tio lamenta a morte do sobrinho. Diz que Thiago queria fazer carreira no Exército. "Era um menino bom, diz que queria ser cabo. Tocava corneta todo dia lá em casa Vivia treinando, estudando. Tinha uma vida inteira pela frente, com um filhinho para criar, ainda com poucos meses", disse. 

    | Foto: Bruna Chagas/Em Tempo

    Ausente do velório, devido à emoção, a avó enviou um áudio, que pôde ser ouvido em uma uma caixa de som pelos presentes. " Meu coração está em mil pedaços, mas com o tempo, a revolta que estou sentindo, se transformará em uma saudade serena,  lembrando de você com um sorriso de gratidão, agradecendo por ter feito parte da sua vida. Tua memória viverá para sempre através de seus pais, irmã e filho".

    Colegas do Exército

    Colegas do Exército fizeram questão de manifestar solidariedade e presença no velório. Pelo menos dois ônibus do CMA  chegaram lotados de soldados.

    O tenente-coronel Lobo, Comandante do 7º Batalhão, disse à reportagem que Thiago era um rapaz admirado. Tinha disciplina e dedicação.

    | Foto: Bruna Chagas/Em Tempo

    "Apesar de não ter um ano ainda conosco, era um soldado entusiasmado, disciplinado, uma pessoa muito solícita. Como era corneteiro, estava fazendo curso e participava de cerimoniais, inclusive recebendo comandantes pela manhã. Refletia o entusiasmo dele  com o Exército. Pela quantidade de militares que vieram homenageá-lo, veja o carinho que todos tinham com o Thiago", contou o comandante.

    Lobo ainda acrescentou que durante o procedimento no Hospital 28 de agosto foi preciso enviar um médico do Exército do 7º Batalhão, para agilizar o atendimento na sala de cirurgia. "Somente depois da chegada do médico, o soldado Almeida foi para a sala de cirurgia. O profissional do Exército acompanhou o procedimento", disse. 

    Amiga de escola

    A estudante Brenda Araújo de 19 anos, quis falar sobre o amigo. "Foram anos de convivência (pausa). A gente se encontrou no ensino médio, ele era muito amigo, companheiro. Era muito parceiro, representante de sala, e todo mundo que convivia com ele, adorava o jeito dele brincalhão. Fazia todo mundo sorrir e dava bons conselhos. Ele realizou o sonho de ter um filho com uma moça que ele ama muito. Essa criança pode ter certeza que teve um grande pai", disse emocionada.  

    Denúncia de negligência 

    A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), respondeu, por meio de nota, às acusações de negligência e nega que tenha havia falha no atendimento.

    Nota da Susam

    A direção do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto informa que o paciente Thiago Melo de Oliveira deu entrada na unidade às 19:48 h do dia 14/11/2018, em estado gravíssimo, vítima de ferimento por arma de fogo em tórax. 

    O paciente foi atendido na emergência, onde passou por exames de imagem, que detectaram múltiplas lesões pulmonares e explosão da veia cava inferior.

    Ainda na emergência, o paciente passou por procedimento de drenagem de tórax, foram administrados todos os medicamentos necessários, inclusive concentrado de hemácias e plasmas. 

    O paciente foi encaminhado ao centro cirúrgico. Apesar de todos os esforços da equipe de plantão, infelizmente, o paciente veio a óbito durante intervenção cirúrgica.

    Leia mais:

    Militar do Exército morre após ser baleado em assalto em Manaus

    Soldado do Exército é baleado em assalto em Manaus

    Susam atrasa ajuda de custo de paciente renal crônico fora do Amazonas

    Amigos realizam feijoada para tratamento de amazonense em Brasília