Fonte: OpenWeather

    Denúncia


    Instrutores do Cetam cobram salários atrasados e temem 'calote'

    Profissionais estão sem receber desde agosto deste ano

    Cetam e Sefaz dizem que estão regularizando os pagamentos | Foto: Divulgação

    Manaus - Sem receber desde agosto, alguns instrutores do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM) estão preocupados de ‘serem esquecidos’ pela próxima gestão. Eles cobram dos responsáveis a resolução desse problema. “Não é justo, nós trabalhamos e queremos receber”, pedem. 

    Segundo um deles, que não quis se identificar à reportagem por medo de represálias, foi recebida uma nota informativa de que os pagamentos deveriam começar a serem efetuados na quarta-feira (5), no entanto, até o momento nenhum valor foi repassado. 

    “Muitas vezes, nós tiramos a passagem de ônibus do nosso bolso. Estamos com medo de que com essa transição de governo não paguem mais”, diz o homem. De acordo com ele, cerca de 80 colegas estão na mesma situação. 

    Outro instrutor, que também não quis se identificar, relatou que o atraso de pagamento acontece em diferentes cursos com cargas horárias variadas, tanto em Manaus, quanto no interior. 

    “São quase 3 mil pessoas. Essa situação envolve os cursos técnicos de administração, logística, farmácia, contabilidade, entre outros. São profissionais dos cursos com durações diferentes de carga horária, como 120, 140, 160 e 200 horas”, conta. 

    O instrutor informa, ainda, que trabalha no local há seis anos e esse é o primeiro ano que o atraso salarial ocorre. Ele afirma que procurou a coordenação e ficou sabendo que a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) é quem está atrasando. “O governador fala que está tudo no azul e por que o nosso não está? Estamos preocupados de pegar um ‘calote’”, alerta. 

    Ele também informa que alguns dos instrutores precisaram emitir notas de serviços, antes da data do pagamento, no valor de R$ 250, muitas vezes retirados do próprio bolso dos trabalhadores. “Eles descontam impostos desse valor da nota. Teve instrutores que emprestaram dinheiro e que pagaram essa nota, e tem mais de 30 dias que não receberam nenhum centavo”, relata. 

    Governo

    Por meio de nota, o Cetam “esclarece que já solicitou pagamento a todos os colaboradores que prestaram serviço no órgão em 2018”.

    Centro técnico defendeu que “não procede a informação que os instrutores ficarão sem pagamento por parte do Governo do Estado”. E disse que “não são mais de 3 mil instrutores que estão sem receber pagamento”. 

    “Mais de 90% dos contratos de instrutores referentes a 2018 já foram pagos e as pendências, relativas à outubro e novembro, estão sendo regularizadas desde a semana passada, tendo continuidade na próxima semana, conforme calendário da Sefaz”, justificou. 

    *Colaborou: Priscila Rosas

    Leia mais:

    Rodoviários param ônibus e afetam 200 mil passageiros em Manaus

    Vídeo: Médicos do AM desistem de greve após acordo com SUSAM

    À espera de nomeação, professores protestam em frente à Semed