Fonte: OpenWeather

    Amazonas


    Terceirizados da Saúde denunciam empresas que não pagam salários

    Eles pedem providências junto às empresas Segeam e Clinical, que já receberam do Governo do Estado, conforme o Portal da Transparência, mas não repassaram os salários aos profissionais.​

    Servidores terceirizados da saúde do Amazonas, que atuam em hospitais e maternidades pública estiveram com o vice-líder do Governo na Aleam, deputado Álvaro Campelo
    Servidores terceirizados da saúde do Amazonas, que atuam em hospitais e maternidades pública estiveram com o vice-líder do Governo na Aleam, deputado Álvaro Campelo | Foto: Divulgação

    Manaus AM) - Com até quatro meses sem receber salários, um grupo de servidores terceirizados da saúde do Amazonas, que atuam em hospitais e maternidades públicas, estiveram na tarde desta terça-feira (24), na companhia do vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa (Aleam), deputado Álvaro Campelo (Progressistas), reunidos com o titular executivo da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), João Paulo Marques. 

    No encontro, eles pediram providências junto às empresas Segeam e Clinical, que já receberam do Governo do Estado, conforme o Portal da Transparência, mas não repassaram os salários aos profissionais.​

    Segundo Álvaro Campelo, Estado e Assembleia Legislativa trabalharão conjuntamente para resolver este impasse, que vem prejudicando diversos servidores. “Por conta de inúmeras denúncias como esta é que o Governo decidiu acabar com a terceirização no setor da saúde. Enquanto isso não acontece, vamos cobrar dessas empresas que o pagamento seja feito o mais rápido possível. Caso seja necessário, recorreremos ao Ministério Público do Trabalho para corrigir esta injustiça”, afirmou Campelo. ​

    A enfermeira obstetra Lucivana Duarte explica que há quatro meses as empresas alegam não receber os repasses. “Eles dizem que há quatro meses não recebem, mas sabemos que o Governo está pagando. Hoje, tem aí o Portal de Transparência para comprovar a verdade. Estamos muito confiantes, porque o deputado Álvaro Campelo está ao nosso lado e nos trouxe até a Susam, onde fomos recebidos pelo secretário, que se comprometeu em verificar essa situação junto às empresas. Nós trabalhamos e precisamos receber”.​

    Na semana passada, foi anunciado que os profissionais da saúde serão contratados e pagos diretamente pelo Governo do Estado do Amazonas, após a conclusão de um estudo técnico que está sendo realizado pela Susam.

    Atualização

    Em nota o Serviço de Enfermagem e Gestão em Saúde (Segeam) esclareceu que os pagamentos de seus funcionários têm sido realizados seguindo a ordem de liberação de recursos à empresa, pela Sefaz, e nega que esteja retendo valores. 

    A empresa também afirma na nota que tem mantido um diálogo com Susam, no sentido de agilizar a liberação dos recursos , evitando prejuízos aos profissionais.

    O Segeam destacou também que o caso específico das maternidades, a prestação de serviços teve início em 31 de maio e que o mês de junho foi pago logo após transferência da Sefaz ao Segeam. Sendo assim, não procede a informação que os funcionários estão há 4 meses sem salários. 

    A Clinical, outra empresa citada na matéria, ainda não se pronunciou. Assim que a empresa se manifestar a publicação será atualizada.