Fonte: OpenWeather

    comunidade


    Em Manaus, problemas na infraestrutura de ruas pioram durante chuvas

    A principal reclamação dos moradores é a água da chuva invadindo as casas

    Cratera na rua Amazonas, São Sebastião. | Foto: Erica Aquino

    Manaus – A temporada de chuva na cidade traz momentos de dificuldades aos moradores. Na manhã desta terça-feira (21), a comunidade da rua Amazonas, Petrópolis - São Sebastião, Zona Sul, ficou em total prejuízo com rua alagada e água invadindo a casa dos moradores.

    Na calçada da rua Amazonas há uma cratera de aproximadamente dois metros, que foi aberta por um ônibus. Além dos ricos de queda dentro do buraco e da impossibilidade do passeio público, em tempos de chuva o buraco enche e transborda invadindo a rua e as casas mais próximas.

    A situação tem se agravado cada vez mais, pois a abertura tem deixado o resto da rua oca e danificada. Um dos postes afetado começou a tombar causando preocupações para os moradores da casa em frente.

    Além do problema com o buraco, o CEMEI Dalva Maria Costa Silva, apesar de ativo, parece uma escola abandonada. No portão há lixeira viciada e no caminho animais mortos, além da estrutura que encontras-se totalmente desregulada com rachaduras perigosas.

    Confira o vídeo gravado pelos moradores da comunidade:

    Vídeo gravado por moradores. | Autor:
     

    No local, muitas crianças entram e saem para estudar e passam pelos perigos de cair no buraco na frente da escola, serem atingidos por estilhaços do prédio ou adquirir alguma doença vinda de animais mortos ou dos lixos descartados a céu aberto.

    Nos dias de chuva todos os problemas se juntam e aterrorizam os moradores.

    Em entrevista a equipe do Portal Em Tempo, a dona de casa Noemia Claúdia, de 60 anos, expõe o sofrimento. “É muito difícil para mim. Quando eu vejo a chuva aqui, alagando, eu entro em desespero, começo a chorar. Eu sei que a água vai entrar na minha casa, eu já perdi muita coisa, outro dia na chuva eu ia perdendo a minha cachorra”, comentou.

    A moradora contou ainda que teve a ajuda de vizinhos para construção de uma mini barreira em frente à casa, pois é uma das mais prejudicadas por morar em frente ao buraco, ao poste e a escola.

    A reportagem aguarda um posicionamento da Secretaria Municipal de Infraestrutura sobre os problemas acima.