Fonte: OpenWeather

    Incêndio


    Mãe joga criança pela janela para salvá-la de incêndio em Manaus

    Patrícia perdeu a casa durante o incêndio deste domingo no bairro São Lázaro, que destruiu dez casas, mas salvou a filha

    Moradora chora ao perder sua casa no incêndio no bairro São Lázaro
    Moradora chora ao perder sua casa no incêndio no bairro São Lázaro | Foto: Beatriz Araújo


    Manaus - Durante o incêndio que atingiu cerca de 10 casas na tarde deste domingo (23), no bairro São Lázaro, na zona Sul da cidade, os moradores tentaram salvar o pouco que tinham dentro das residências consumidas pelo fogo. No meio do tumulto um fato chamou a atenção: uma moradora jogou a filha de 3 anos pela janela para salvá-la.

    O sinistro aconteceu no beco Magalhães Barata e deixou diversas famílias desoladas. Ninguém ficou ferido. A moradora Patrícia Melo, 39, relembrou os momentos de pânico ao ser avisada sobre o sinistro pela filha mais velha.

    “O fogo começou na casa de trás. Quem veio me avisar foi a minha filha mais velha. Eu fiquei desesperada, e a primeira coisa que fiz foi correr para salvar a minha outra filha, que tem apenas 3 anos, que estava dormindo”, contou à reportagem do Em Tempo.

    Nervosa e chorando muito, Patrícia disse que nunca imaginou que passaria por isso. Mesmo sabendo do risco de jogar a criança pela janela, a dona de casa não pensou duas vezes em salvar a criança, mesmo que para isso ela arriscasse a própria vida. O fogo já tinha consumido a entrada da residência delas.

    A moradora reside no bairro desde que nasceu, há 39 anos. Na casa morava ela e mais duas crianças, a menina de 3 e outra de 11 anos. No meio dos destroços, Patrícia ficou ao lado apenas do que conseguiu resgatar: um ar condicionado e um sofá.

    "Eu perdi tudo! Não sei onde vou morar, nem como vou abrigar meus filhos. A casa era simples, mas era a única coisa que eu tinha. Agora, nós só estamos com a roupa do corpo". 

    O Corpo de Bombeiros ainda apura a causa do sinistro, mas a suspeita é de que tenha sido um curto-circuito decorrente do superaquecimento de um ar condicionado. Como a primeira casa atingida era de madeira, segundo os bombeiros, foi mais fácil para que o fogo se expandisse por mais nove residências.