Fonte: OpenWeather

    Apreensão


    Em operação ‘Arremate’ PC e Detran apreendem 80 motocicletas

    Existe também a suspeita de que haja encomenda de motocicletas roubadas para serem adulteradas e esquentadas por notas de leilão.

    Foram vistoriadas 130 motocicletas e 80 apreendidas
    Foram vistoriadas 130 motocicletas e 80 apreendidas | Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

    Manaus (AM) - Na manhã desta quarta-feira (18), por volta das 8h, as equipes de investigação da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), sob a coordenação da delegada-geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz, e do delegado Cícero Túlio, titular da especializada, deflagraram a operação “Arremate”, com o objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão no galpão de uma empresa comercial de conserto e venda de motocicletas, localizado na rua São Vicente, bairro São Lázaro (Zona Sul).

    Conforme o delegado, durante revista no estabelecimento comercial, 130 motocicletas foram vistoriadas, 80 delas foram apreendidas, juntamente com um maquinário de corte e solda de chassis e dois motores adulterados. Dos materiais apreendidos, um dos motores é de um veículo com restrição judicial e uma das motocicletas possui restrição de roubo; as demais serão periciadas. 

    De acordo com o delegado Cícero Túlio, a ação policial, que contou com o apoio das equipes do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), por meio do Núcleo Especializado em Operações de Trânsito (Neot), foi deflagrada após aproximadamente três meses de investigação, depois que motocicletas apresentando chassis cortados e numeração dos motores suprimidos foram apreendidas durante operações do Detran-AM e da DERFV. 

    Segundo a Túlio, as investigações apontaram que se tratava de vendas irregulares de veículos inservíveis, oriundos de leilões, que não podem mais trafegar pelas ruas da cidade. 

    “No decorrer de várias apreensões de motos irregulares, realizadas pelas equipes da DERFV e do Detran-AM, as pessoas que utilizavam os veículos informaram que os mesmos teriam sido comercializados por esse empreendimento de consertos e vendas de motocicletas. Ao longo dos trabalhos investigativos, constatamos a venda clandestina desses veículos pelo proprietário do estabelecimento. Existe também a suspeita de que, possivelmente, haja encomenda de motocicletas roubadas para serem adulteradas e esquentadas por notas de leilão”, relatou Cícero Tulio. 

    O coordenador geral do Neot, David Fernandes, informou que no galpão foram encontrados veículos adquiridos por leilão do Detran-AM, e que não foram regularizados ainda, no prazo estabelecido pelo órgão. 

    “A DERFV fez o levantamento dos veículos e, durante a operação, o Neot verificou que no galpão havia veículos adquiridos em leilões no Detran que foram fiscalizados. Os mesmos tinham um prazo de 30 dias para serem regularizados, e os que ainda não foram retirados do nome do proprietário foram recolhidos para o Detran-AM para que ele regularize, e os que forem sucata, ele vai ter que dar baixa nesse veículo”, disse David Fernandes. 

    A ordem judicial foi expedida no dia 12 de março deste ano, pela juíza Priscila Maia Barreto, da Central de Inquéritos Policiais. 

    Procedimentos

     Após os procedimentos na sede da especializada, o proprietário do estabelecimento comercial será indiciado por receptação qualificada, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e estelionato. Ao término dos trâmites legais, o proprietário do local será liberado e irá responder ao processo em liberdade.


    Com informações da assessoria