Fonte: OpenWeather

    Vacina


    Mourão contraria Bolsonaro e diz que governo comprará vacina chinesa

    "Lógico que vai", afirmou Mourão, contrariando o que o presidente Jair Bolsonaro tem dito sobre o tema.

    | Foto:

    O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse em entrevista à revista "Veja" que o governo federal vai comprar a vacina do laboratório chinês Sinovac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

    "Lógico que vai", afirmou Mourão, contrariando o que o presidente Jair Bolsonaro tem dito sobre o tema.

    Na entrevista, o vice reduziu a polêmica sobre a "vacina chinesa" a uma briga política entre Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). "Essa questão da vacina é briga política com o Doria. O governo vai comprar a vacina, lógico que vai. Já colocamos os recursos no Butantan para produzir essa vacina. O governo não vai fugir disso aí", disse Mourão à "Veja".

    Ainda na entrevista à revista "Veja", Mourão afirmou não ter receio de tomar vacina que venha da China. "Desde que esteja certificada pela Anvisa. Não tem problema nenhum", afirmou.

    Vacina ainda não foi aprovada

    As vacinas relacionadas à Covid-19 seguem em fase de estudos e, por isso, nenhuma delas tem aprovação para uso na população geral até agora. Nesta quarta (28), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação de matéria-prima para que o Instituto Butantan produza 40 milhões de doses da CoronaVac.

    Na semana passada, a Anvisa já tinha liberado a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, que já virão envasadas e prontas para o uso. A aplicação, no entanto, só será autorizada depois que os estudos forem concluídos – e se as conclusões forem positivas.

    Leia mais:

    www.emtempo.com.br/coronavírus