Fonte: OpenWeather

    Interior do Amazonas


    Parte da orla de Nhamundá desaba após forte chuva

    Pelas imagens que circulam na internet é possível ver que parte do prédio do porto está comprometido e corre risco de desabar.

     

    | Foto:

    Nhamundá (AM) - Após o trecho do muro de arrimo que compreende o Porto de Nhamundá desabar na madrugada de ontem, a prefeitura informou que Defesa Civil foi acionada para fazer vistoria e tomar as medidas possíveis.

    O relatório da Defesa Civil, assinado pelo arquiteto e urbanista do município, Renato Ribeiro, apontou que não há armaduras de aço no muro e execução de buzinotes, motivo que levou o aumento de pressão interna e posterior rompimento das estruturas.

    Pelas imagens que circulam na internet é possível ver que parte do prédio do porto está comprometido e corre risco de desabar.

    Conforme análise documental de execução do Terminal Hidroviário, não há estacas nas fundações, o que torna o prédio instável.

    Segundo a avaliação técnica, ainda há um trecho com real possibilidade de desmoronamento, pois se trata do mesmo tipo de execução de serviços sem estrutura.

    Leia também: Chuvas deixam Amazonas em estado de atenção

    O relatório de avaliação do arquiteto, aconselha os proprietários de lanchonetes daquele local a não utilizar o espaço por tempo indeterminado, afim de evitar acidentes graves. Também foi aconselhado a atenção redobrada dos funcionários dos orgãos públicos que funcionam próximos, proibindo o acesso ao local.

    Prefeitura de Nhamundá

    Ainda segundo a Prefeitura de Nhamundá, a Defesa Civil montou barreiras do tipo “guarda-corpo” para isolamento e proibição de utilização do prédio do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT). Será feito um aterro para conter a erosão e possível queda do prédio do terminal hidroviário.

    A prefeitura informou também que a construção de um novo muro de arrimo está em andamento para corrigir esses problemas de erosão na orla, porém, devido a cheia dos rios, a obra está parada.

    A prefeitura solicitou um técnico do DNIT para verificar a situação do porto e fazer uma avaliação mais precisa. O geólogo deve chegar em Nhamundá nos próximos dias. Conforme a orientação do DNIT, o porto deverá ser isolado para maior segurança da população.

    Os rios do Amazonas estão vivenciando uma das maiores enchentes dos últimos cem anos. Com a cheia, várias cidades correm risco em suas orlas, com perigo de desbancarramento.

    Leia também:

    Manaus terá em 2021 a sétima cheia severa em dez anos, aponta pesquisa

    Amazonas deve registrar cheias severas em 2021, diz Serviço Geológico