Fonte: OpenWeather

    Fundação de Medicina Tropical


    Instituto faz treinamento em Manaus para tratamento da malária

    A tafenoquina é uma medicação antimalárica com eficácia comprovada no combate ao parasita Plasmodium vivax.

     

    A nova droga não exclui o uso associado com cloroquina.
    A nova droga não exclui o uso associado com cloroquina. | Foto: divulgação

    Manaus (AM) - O Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema, da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), disponibilizou na terça-feira (14/09), em sua plataforma on-line de ensino, o treinamento sobre o uso da tafenoquina. A capacitação é parte do estudo TRuST, de implementação de novas ferramentas para o tratamento da malária vivax no Brasil.

    O curso é uma realização do Ministério da Saúde que, de acordo com a Nota Informativa nº 14/2021, recomenda o uso da tafenoquina e do teste quantitativo da enzima G6PD durante a realização do TRuST nos municípios de Manaus e Porto Velho (RO).

    São parceiros da iniciativa a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), a FMT-HVD, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) e a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa).

    É recomendado que médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos da assistência e outros profissionais de saúde envolvidos no diagnóstico e tratamento da malária participem da capacitação. O treinamento, com duração de 20 minutos, está disponível em trust.borbatraining.com.br.

    Ministrado pelo médico infectologista da FMT-HVD, Marcus Lacerda, o treinamento aborda as principais mudanças do novo Guia de Tratamento da Malária no Brasil, publicado pelo Ministério da Saúde em 2020; investigação, diagnóstico e manejo da Anemia Hemolítica Aguda (AHA) por antimaláricos; diálogo e o compartilhamento de informações e implementação de políticas públicas sobre malária vivax.

    TRuST 

    O projeto TRuST avalia a implementar duas novas ferramentas para o tratamento da malária vivax no Brasil: a tafenoquina e o teste de G6PD. Para isso, os municípios de Manaus e Porto Velho (RO), a partir de recomendação do Ministério da Saúde, irão adotar o uso de um teste quantitativo de G6PD e a tafenoquina como tratamento de primeira escolha para pacientes maiores de 16 anos. Após um ano, os resultados gerados subsidiarão a decisão do Ministério da Saúde quanto à incorporação dessas novas ferramentas ao Sistema Único de Saúde (SUS).

    Tafenoquina

    É uma medicação antimalárica com eficácia comprovada no combate ao parasita Plasmodium vivax. O medicamento, administrado em dose única, deve facilitar a adesão do paciente e será uma alternativa ao tratamento com primaquina, administrada por sete dias. A nova droga não exclui o uso associado com cloroquina.

    A medicação pode ser administrada para maiores de 16 anos que, obrigatoriamente, realizaram o teste de G6PD, uma enzima protetora presente no organismo humano. Pessoas com deficiência na produção dessa enzima podem apresentar reação (hemólise) ao uso de antimaláricos. A testagem irá proporcionar maior segurança e tratamento adequado aos pacientes.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Campanha fortalece uso de medicamento de prevenção ao HIV em Manaus

    Fundação de Medicina Tropical forma 44 alunos em iniciação científica

    Amazônia abriga animais capazes de transmitir doenças para os humanos