Fonte: OpenWeather

    Limpeza


    Prefeitura atua em lixeira viciada no bairro São Francisco

    A Semulsp fez a retirada do lixo e agora busca solucionar o problema

    Remoção, limpeza e reabilitação de lixeiras viciadas | Foto: D’Castro/Semulsp

    Manaus - O trabalho de remoção, limpeza e reabilitação de lixeiras viciadas, desenvolvido pela Prefeitura de Manaus, avança pela cidade. Nesta quarta-feira (11), mais um ponto passa por revitalização e pode receber uma lixeira comunitária ou dar lugar a um jardim, desta vez, no bairro São Francisco, zona Sul.

     Leia também: Ações de combate ao câncer são realizadas em galerias de Manaus

    Os moradores da rua Melo Gomes, localizada no bairro São Francisco, receberam as equipes de conscientização da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que está em campo para diagnosticar as causas da formação de uma lixeira viciada em terreno aberto no local.

    “A situação é preocupante nessa área. Há entulhos, eletrodomésticos e materiais que, claramente, foram despejados aqui por grandes empresas vizinhas”, disse Alessandra Funai, coordenadora do grupo de conscientização.

    A Semulsp fez a retirada do lixo e agora busca solucionar o problema. “Quando identificado o ponto de lixo, o primeiro passo é percorrer a comunidade, conversando com a população para detectar as demandas do local e solucionar os problemas. Às vezes, a implantação de um jardim ajuda a inibir esse hábito. Outras vezes, há necessidade de equipar a área com lixeiras comunitárias e isso só é decidido a partir da articulação com os moradores”, explica o secretário municipal de Limpeza Urbana, Paulo Farias.

    Segundo a moradora Shirley Tavares, o lixo é sempre retirado pela Prefeitura, mas volta a se acumular no local. “Vem gente de carro despejar entulho aí. Quando um joga, os outros acabam acompanhando e aí enche de lixo”, lamentou.

    A comerciante Aldecy Alves comemorou a presença das equipes de conscientização e de limpeza e reclamou do comportamento das empresas vizinhas. “A Prefeitura vem e limpa, mas os moradores e as fábricas voltam a sujar. Não dá para aceitar que, principalmente, grandes empresas participem disso”, comentou.

    As equipes de conscientização permanecerão no local por dois dias, conversando com os moradores, comerciantes e empresários inseridos na área. Um fiscal de ponto será fixado no local durante o período de pesquisa. “Depois de ouvirmos a população, vamos tentar solucionar o problema com a implantação de uma lixeira, placas ou um jardim”, explicou Alessandra Funai.

    Balanço

    No primeiro trimestre desse ano, mais de 170 ações de combate a lixeiras viciadas já foram feitas pela Prefeitura de Manaus, inclusive no bairro São Francisco, nas ruas Rua Sobrinho Maranhão, Barbosa Rodrigues, Nunes Cardoso, Alameda Milton Mourão e Geraldo da Costa.

    O trabalho envolve a limpeza dos pontos de lixo; implantação de lixeiras comunitárias, placas, jardins e ações de conscientização dos moradores. Nesse período, um total de nove jardins foram criados pela cidade; 11 placas foram instaladas e 14 lixeiras comunitárias foram implantadas.

    A limpeza de lixeiras viciadas envolve pelo menos cinco equipes da Semulsp: varrição, remoção mecanizada, jardinagem, conscientização e fiscalização. Para o trabalho de implantação de jardins, a Semulsp utiliza plantas das espécies agave, pau-pretinho, croton taperebá, espada de são jorge, dracena, bananeira, cróton police, jasmim do Caribe, grama esmeralda, entre outras, cultivadas em viveiro próprio da Semulsp.

    Leia mais: 

    Adolescente vendia drogas para bancar namorado traficante preso, no AM

    Sob ameaça, mulher é feita refém ao tentar sair de casa em Manaus

    Polícia apreende 80 kg de droga e apresenta dupla do tráfico em Manaus