Fonte: OpenWeather

    Sistema penitenciário


    Amazonas possui 105 estrangeiros presos

    Maioria dos presidiários é da Colômbia, e o principal crime cometido por eles é o tráfico internacional de entorpecentes, conforme informação da Seap

    Mais de 90% dos casos das prisões de estrangeiros no Amazonas estão relacionadas com o crime de tráfico de drogas | Foto: Luis Henrique Oliveira

    Manaus - O sistema penitenciário do Amazonas conta atualmente com 105 estrangeiros presos nos regimes aberto, semiaberto e fechado. A grande maioria é natural de países da América Sul, como Colômbia, Peru, Venezuela, Argentina, Bolívia e Suriname, além de países da Europa, como Espanha e República Tcheca. No total, são 84 homens e 21 mulheres.

    Conforme dados da Secretária de Administração Penitenciaria (Seap), o número representa 1% da população carcerária do Estado, que atualmente possui 9.846 detentos.

    De acordo com o titular da Seap, coronel da Polícia Militar Cleitman Coelho, os detentos de outros países cumprem as penas no Brasil. A não ser em caso de pedido de extradição do país de origem.

    “O tratamento desses detentos é igual como a de qualquer outro preso que está custodiado. O crime dele foi cometido no território brasileiro e ele tem obrigação de cumprir no país, a não ser em casos específicos em que as relações exteriores dos país deles entrem com ação pedindo a extradição, mas isso é muito difícil, praticamente raro. Na minha gestão ainda não ocorreu nenhuma solicitação dessa forma”, informou o coronel Cleitman.

    Tráfico de drogas

    O secretário também informou que mais de 90% dos casos das prisões de estrangeiros no Amazonas estão relacionadas com o crime de tráfico de drogas.

    “Como o Estado é rota do tráfico de entorpecentes, essas pessoas são capturadas fazendo o transporte desses materiais ilícitos. Além do tráfico, temos um caso de um médico colombiano que cumpre pena por estupro de vulnerável”, disse o secretário.

    Em maio deste ano, cinco colombianos foram presos com mais de meia tonelada de maconha e 65 quilos de cocaína em uma embarcação na foz do rio Purus, no município de Anamã, a 195 quilômetros de Manaus. Os estrangeiros e mais dois brasileiros foram denunciados por tráfico internacional de drogas pelo Ministério Público Federal (MPF).

    Tríplice fronteira

    Habitantes de países que formam a tríplice fronteira com Brasil dominam o quadro de estrangeiros presos no Estado, no total são 55 colombianos e 39 peruanos.

    De janeiro a setembro deste ano, os órgãos do sistema de Segurança Pública do Amazonas apreenderam 6,7 toneladas de entorpecentes em todo o Estado, conforme dados da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai). A maior parte desse material ingressa no Amazonas através da fronteira com a Colômbia e o Peru.

    Para o secretário de segurança pública, o modelo de controle na região precisa ser revisto. “O novo governo federal já acenou com mudanças significativas para o próximo ano. Recebemos com bastante alegria a indicação do juiz Moro para o Ministério da Justiça, o que significa que podemos ter um fio de esperança que a tríplice fronteira será devidamente controlada”, ressaltou o secretário.

    Leia mais

    Governo do AM que pediu indenização para famílias de presos, diz DPE

    Cinco presos são recapturados por violação de tornozeleira eletrônica

    Após superlotação, presidiários são transferidos de Lábrea para Manaus