Fonte: OpenWeather

    GREVE GERAL


    Após negar paralisação, rodoviários de Manaus entram em greve geral

    Greve geral deve acontecer a partir da meia-noite de sexta-feira (7). Trabalhadores reivindicam pagamento do plano de saúde, que tem sido descontado normalmente nos contracheques

    Paralisação deve acontecer na sexta-feira (7). Em comunicado, categoria informa que reivindicação é por conta do não-pagamento do plano de saúde | Foto: Marcely Gomes/EM TEMPO

    Manaus - A categoria dos trabalhadores do transporte rodoviário de Manaus deve entrar em greve geral por tempo indeterminado a partir de sexta-feira (7). O comunicado foi divulgado nesta segunda-feira (3), um dia após uma fonte ligada à diretoria do sindicato ter afirmado que não havia previsão de greve da categoria para os próximos sete ou oito dias.

    O indicativo de greve foi aprovado pela categoria em assembleia geral na última quinta-feira (29). O comunicado, enviado pelo sindicato apenas nesta segunda, que é assinado pelo presidente Givancir Oliveira, diz que os motivos que levaram os trabalhadores a aprovarem a decisão de greve geral foram as constantes suspensões do plano de saúde, o que causaria transtornos tanto aos funcionários das empresas como aos dependentes.

    A nota, entregue nos veículos impressos de comunicação da capital para publicação nas edições desta terça-feira (4), ainda diz que o valor referente ao plano de saúde tem sido descontado normalmente, e que as horas extras não estão sendo pagas, conforme acordo feito junto ao Ministério do Trabalho.

    "Estamos cumprindo a Lei de Greve, comunicando toda a sociedade manauara e usuários de transportes públicos que os trabalhadores rodoviários entrarão em greve a partir das 0h do dia 7 de dezembro", diz o comunicado assinado por Givancir.

    "Solução"

    Na decisão, o sindicato ainda diz que informará ao Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Manaus (Sinetram) e às demais empresas para que a frota de transportes coletivos seja remanejada em 50% para operarem nos dias de paralisação.

    "A greve é o único instrumento que os trabalhadores têm para obter êxito em seus pleitos. Estamos abertos para negociar nossa pauta de reivindicações até o último instante para evitar essa paralisação. Sem mais para o momento, renovamos as nossas considerações", diz a nota.

    A reportagem solicitou nota da assessoria de comunicação do Sinetram a respeito do movimento paredista dos trabalhadores rodoviários, mas, até a publicação desta matéria, não recebeu retorno.

    Confira o comunicado do Sindicato dos Rodoviários


    Leia mais

    Rodoviários paralisam atividades no Centro, em Manaus

    Após acordo com empresas, rodoviários desistem de greve em Manaus

    Nova greve dos rodoviários é decidida em reunião nesta sexta (20)