Fonte: OpenWeather

    Refugiados


    Venezuelanos acampados serão retirados da rodoviária

    Famílias de imigrantes voltaram a ocupar a área no entorno da rodoviária de Manaus e, por ordem de prioridade, devem ser transferidos para abrigos nesta terça-feira (11)

    VENEZUELANOS Abrigados sob o viaduto de Flores próximo a Rodoviária | Foto: MMelo

    Manaus - Os venezuelanos que estão acampados no entorno da rodoviária serão transferidos nesta terça-feira (11), às 18h. Cerca de 13 migrantes farão parte desta primeira transferência que faz parte da ação conjunta desdobrada na semana passada por iniciativa da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc). A ação conta com apoio do Oasis Acolhimento de Famílias e do Alto Comissariado das Nações Unidas (Acnur).

    A Sejusc convidou órgãos do Governo, do Município e da sociedade civil e privada para atuarem emergencialmente junto aos venezuelanos indígenas e não-indígenas, que não têm abrigo em Manaus.

    "Alguns órgãos atenderam ao chamado da Sejusc, que, além de ser de cunho institucional é humanitário, precisa ser colocado em prática o quanto antes, haja vista que essas pessoas chegam a Manaus em estado de vulnerabilidade física e psicológica", explica a titular da Sejusc, Eliane Ferreira também destaca a questão do período chuvoso de Manaus, que afeta, principalmente as crianças, que ficam expostas às doenças.

    Prioridade 

    Entre as 13 pessoas que vão para o abrigo Oasis, localizado no bairro Adrianópolis, zona centro-sul, estão incluídas crianças menores de cinco anos de idade, juntamente com suas mães. "Elas apresentam doenças respiratórias e desidratação. Por isso, a transferência delas é prioridade", informa Eliane.

    A articulação para o abrigamento dos outros 123 migrantes está em andamento e, por enquanto, os atendimentos sociais e de saúde vão continuar sendo realizados no acampamento.

    "Estamos em busca de outros locais que já tenham infraestrutura para receber os venezuelanos. Além disso, temos que garantir a alimentação deles, o acesso à saúde e também à cidadania", enfatiza a secretária executiva adjunta de Direitos da Sejusc, Maria de Jesus Lins.

    Doações

    Para colaborar com a alimentação dos migrantes que vão ser abrigados, a faculdade Fametro já sinalizou que  vai doar 30 caixas de frango e a Acnur, colchões e kits de higiene.

    *Com informações da assessoria.

    Leia mais:

    ONS prevê bandeira verde na energia por muito tempo

    Sem cobrança extra conta de luz terá bandeira verde em dezembro

    Apesar do custo energia solar pode trazer economia na conta