Fonte: OpenWeather

    Manifestação


    Ex-funcionários da Unimed fecham Constantino Nery e denunciam calote

    Segurando cartazes e gritando palavras de ordens, os manifestantes reivindicaram o pagamento de direitos trabalhistas após demissões em massa

    Uma comissão de ex-funcionários se reuniu com a direção do hospital para buscar suloções | Foto: Márcio Melo

    Manaus - Pedindo por dignidade e o pagamento dos direitos trabalhistas, após demissões em massa, aproximadamente 70 ex-funcionários do Hospital Unimed realizaram uma manifestação em frente ao prédio de uma das unidades, localizada na avenida Constantino Nery, bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul de Manaus. 

    Segurando cartazes e gritando palavras de ordens, com auxílio de carro de som, os manifestantes ocuparam duas faixas do sentido centro-bairro e deixaram o trânsito congestionado. O ato iniciou por volta das 17h. Agentes do Manaustrans foram acionados para controlar o fluxo de veículos na localidade. 

    Apenas um trecho da faixa azul ficou disponível para o fluxo de veículos
    Apenas um trecho da faixa azul ficou disponível para o fluxo de veículos | Foto: Marcio Melo

    A técnica em enfermagem Francineide Campos, de 36 anos, informou que trabalhou por seis anos na empresa e há 10 dias foi surpreendida com a demissão. Até o momento, a ex-funcionária disse que ainda não teve um retorno da instituição.

    “Estamos reivindicando os nossos direitos trabalhistas. A empresa fez uma reunião e alegou que não tem dinheiro para nos pagar. Queremos uma solução e o nosso dinheiro”, disse a ex-funcionária. 

    Conforme um dos líderes do movimento, o técnico de enfermagem Edmilson Ferreira, aproximadamente 300 funcionários, de todos os setores da empresa, foram demitidos sem ter realizados os exames demissionais. 

    Grupo de ex-funcionários durante o ato
    Grupo de ex-funcionários durante o ato | Foto: Marcio Melo

    “As demissões começaram há 20 dias, todos estamos prejudicados. Fomos destratados e mandaram a gente procurar nossos direitos na Justiça. Queremos o que é nosso por direito, a rescisão, o FGTS - que não está todo depositado e décimo terceiro salário", disse o profissional.  

    Uma comissão de ex-funcionários, o vereador e professor Fransuá e a direção da Unimed se reuniram para buscar uma solução e resolver o problema. Conforme assessoria de impressa do hospital, a empresa vai honrar com todos os compromissos.

    Uma nova reunião, entre as partes, foi marcada para o dia 20 de dezembro. No encontro será definido a data e a forma que serão feitos todos os pagamentos pendentes.

    Confira a reportagem da TV Em Tempo.

    Confira a reportagem | Autor: TV Em Tempo

    Leia mais:

    Sem energia elétrica, moradores podem bloquear trânsito na BR-174

    Familiares e amigos fazem homenagem à idosa e sobrinho mortos no AM

    PMs e família de policial morto em atropelamento protestam, em Manaus