Fonte: OpenWeather

    Atitude


    Amor ao próximo: voluntários contam histórias em abrigos de Manaus

    Reportagem do EM TEMPO traz a realidade de pessoas que cuidam de crianças, adolescentes ou idosos em situação de vulnerabilidade em alguns abrigos da capital

    Na Casa do Idoso São Vicente de Paulo idosos recebem apoio de voluntários | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - Um amor que se desdobra. Foi o que moveu a universitária Juliana Lira, de 19 anos, e sua mãe, Rakelly Weruska, a se tornarem voluntárias no Núcleo de Assistência à Criança e à Família em Situação de Risco (Nacer), instituição voltada para o amparo de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

    A participação voluntária das duas começou há pouco mais de duas semanas, quando viram, nas redes sociais, que o abrigo estava à procura de pessoas que dessem colo aos seis bebês que hoje vivem no berçário. Para a universitária, saber que está ajudando as crianças é compensatório.

    “Está sendo ótimo vir aqui. Saber que estamos dando carinho, colo e atenção a quem precisa”, diz. A mãe, Rakelly, que participa das atividades do abrigo todas as quartas e quintas com a filha, acredita que a experiência pode trazer lições para a jovem.

    Um ato de amor ao próximo
    Um ato de amor ao próximo | Foto: Leonardo Mota

    “As crianças aqui são extremamente carinhosas. Para mim, é importante ajudar. Acredito que seja um aprendizado para mim e para a minha filha, que vai entender a importância de ajudar o próximo”, explica.

    O local possui, atualmente, 23 menores de idade assistidos pelo abrigo. Além dos bebês, os voluntários interagem com crianças e adolescentes com idade máxima de 15 anos encaminhadas pela Vara da Infância Juventude ou Conselho Tutelar após sofrerem maus tratos, negligência ou abusos.

    Lá, a criança é acolhida e passa a receber atendimento psicossocial e pedagógico. Após a campanha, o número de voluntários da casa chegou a 60. Divididos em turnos, eles se revezam entre os cuidados do berçário e as outras crianças. Além deles, o abrigo conta com 28 funcionários, sendo 14 cuidadoras.

    João Romão, presidente do abrigo São Vicente de Paulo
    João Romão, presidente do abrigo São Vicente de Paulo | Foto: Leonardo Mota

    Para o diretor do NACER, Cleslley Rodrigues, o trabalho dos voluntários é de extrema importância para o fortalecimento de vínculos com as crianças. “A chamada, inicialmente, era para ajudar com os bebês. Tivemos um boom de adesão. No entanto, essa ajuda se estende para a casa inteira, todas as crianças, que também demandam muito amor e carinho”, diz.

    O sentimento de Juliana e Rakelly se junta ao de tantos outros que dedicam uma parte do seu tempo a cuidar do próximo. Fundada há 39 anos, a Casa do Idoso São Vicente de Paulo trabalha com o acolhimento de idosos a partir dos 60 anos. Pertencente à Sociedade São Vicente de Paulo, a entidade possui 27 residentes.

    O trabalho voluntário é feito pelos próprios vicentinos, como são chamados os membros da comunidade São Vicente de Paulo, além daqueles que se dispõem a visitar os idosos e auxiliar nas atividades do abrigo. Além deles, a casa conta com 33 funcionários, entre psicólogos e dentre outros.

    Voluntários levam histórias e carinho
    Voluntários levam histórias e carinho | Foto: Leonardo Mota

    O presidente da Casa, João Romão, afirma que o principal desafio para os vicentinos e os voluntários é fazer com que se sintam em casa, e não em um asilo. “Realizamos muitas atividades externas, como visitas a museus e passeio na Ponta Negra. Fazemos o possível para que se sintam em casa. Muitos idosos vêm para cá porque a família não pode ou não quer mais cuidar e eles sentem falta. Temos que passar carinho para eles agindo como uma família”, explica.

    Leia mais: 

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Criança tem mão dilacerada em escada rolante de shopping em Manaus

    Em Manaus, grave acidente entre carro e moto deixa 2 mulheres feridas