Fonte: OpenWeather

    Educação


    'Ausência de alunos dificulta reposição de aulas', diz Luiz Castro

    No último sábado (27), confirme o secretário, apenas 35 mil, de um total de 175 mil estudantes matriculados em escolas que cumprem calendário especial, tiveram a presença registrada

    O alto índice de faltosos foi identificado novamente durante o processo de fiscalização | Foto:

    Manaus - A ausência de alunos é a principal dificuldade para a reposição dos 27 dias letivos do calendário especial definido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), em conjunto com os representantes sindicais.

    Em entrevista na manhã desta terça-feira (30), o secretário de Educação, Luiz Castro, afirmou que o problema tem sido observado desde o início da execução do calendário, e fez um apelo aos pais para que sensibilizem os filhos da importância de comparecer às aulas nos sábados. 

    Atualmente, mais de 300 escolas da capital e do interior estão com o calendário especial, que inclui aulas aos sábados, duas vezes ao mês, e em alguns feriados do segundo semestre.

    Como exemplo, Luiz Castro destacou o último sábado (27), quando somente 35 mil, de um total de 175 mil estudantes matriculados em escolas que cumprem calendário especial, tiveram a presença registrada.

    “Hoje nós estamos fazendo um apelo aos pais para que eles sensibilizem os filhos sobre a necessidade dessa participação. Nós sabemos que é uma situação adversa e que não é o planejado. Mas é a forma que temos de evitar os prejuízos e garantir que os alunos tenham acesso a todo o conteúdo que lhes é de direito”, destacou.

    O alto índice de faltosos foi identificado novamente durante o processo de fiscalização da Seduc-AM no último sábado (27). Segundo Luiz Castro, no início da aplicação do calendário, o problema era a ausência de professores.

    “Duas questões têm sido observadas desde o início: a presença ou ausência de professores e alunos. Nossa fiscalização fez com que os professores passassem a estar mais presentes e cumprissem o que foi acertado com os sindicatos, mas os estudantes permanecem sendo a ausência mais sentida”, afirmou, durante entrevista.

    Fiscalização

    Durante o último fim de semana, o Ministério Público do Estado (MPE) e a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), juntamente com uma equipe de técnicos da Seduc-AM estiveram em duas escolas através de denúncias recebidas. Desde o início da reposição, 29 escolas já foram visitadas.

    De acordo com o secretário de Educação, a Seduc-AM tem total interesse na participação dos órgãos para executar o trabalho e auxiliar na fiscalização. “Algumas escolas perderam até 27 dias letivos, e não é justo que os estudantes sejam prejudicados por isso. A reposição das aulas é um direito, e estamos unindo esforços nesse momento para fiscalizar que seja garantido em todas as escolas em reposição”, concluiu.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Alunos de projetos de qualificação da prefeitura recebem certificados

    Mais de 2 mil pessoas serão beneficiadas com casas populares na BR-174