Fonte: OpenWeather

    Reforço


    Vídeo: monitoramento por satélite guiarão no combate às queimadas

    Reuniões diárias estão sendo realizadas no Centro Integrado de Comando e Controle

    O CBMAM também reforçou a presença no sul do Amazonas | Foto: CARLOS SOARES/SSP-AM

    Manaus - As operações de combate às queimadas no sul do Amazonas receberão reforço nos próximos dias, com uso da inteligência para garantir a eficiência no campo. Em reunião do gabinete de crise, nesta quarta-feira, (28), foi definido que todas as ações de campo seguirão dados de monitoramento via satélite, que serão analisados e disponibilizados diariamente por técnicos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) na Sala de Situação da Sema, em Manaus. Equipes de diversos órgãos ambientais e de segurança irão fortalecer a força-tarefa em campo.

    As análises realizadas diariamente pelas equipes técnicas em Manaus serão encaminhadas a centrais de geoprocessamento que serão montadas nos Centros Multifuncionais da Sema e Ipaam nos municípios de Apuí, Humaitá e Boca do Acre. Com base nestas informações, a cada fim de dia as equipes de fiscalização e combate às queimadas realizarão planejamento para definir as áreas que serão vistoriadas no dia seguinte.

    De acordo com o secretário estadual de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, a precisão nos sistemas de satélite permitirá uma ação mais eficiente e com inteligência. "No sobrevoo que fizemos com o governador Wilson Lima, pudemos constatar a precisão das coordenadas dos satélites, que nos levaram exatamente aos locais em que estavam ocorrendo queimadas. Estamos usando muita inteligência da Sema e Ipaam nestas áreas, para que as equipes possam se mobilizar de maneira muito pontual dando respostas rápidas como a sociedade tem exigido do governo", destacou.

    O diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, ressaltou que as análises da Sala de Situação já vem apoiando o órgão nas autuações relacionadas ao desmatamento. "Garantimos, com uso da tecnologia, uma grande economia ao conseguir identificar e autuar responsáveis por crimes ambientais por meio deste sistema de monitoramento. Agora, ele será utilizado também no campo, apoiando as equipes de fiscalização a irem em um ponto exato onde detectamos queimadas", disse.

    Reforço na operação

    Mais homens do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), Ipaam, Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e Defesa Civil do Amazonas deverão fortalecer a operação no sul do Amazonas. A ação contará também com oficiais da Polícia Federal,  Exército Brasileiro e Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

    Reuniões diárias estão sendo realizadas no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) para alinhamento das equipes responsáveis pela ação. "Desde que recebemos a missão de integrar os órgãos que estão nessa missão de combate ao desmatamento, temos feito reuniões diárias para ter consciência situacional e evolução das equipes em terreno e das próximas equipes que vão trabalhar. Esta reunião ocorre para que a gente possa alinhar as ações, verificar os próximos passos, o que ocorreu no dia anterior e projetar o dia posterior, para que as equipes possam operar com tranquilidade, verificando todas as disponibilidades tecnológicas", explicou o secretário executivo adjunto de Gestão Integrada da SSP, coronel Hermes Macedo.

    Além do trabalho de fiscalização e autuação, a operação terá reforço no combate às chamas, com aumento do efetivo do Corpo de Bombeiros na região. "Estamos mobilizando uma equipe para fazer deslocamento para o sul do Amazonas para o combate aos focos de calor. Esperamos poder debelar esses focos o mais breve possível para evitar maiores danos ambientais. Estas reuniões tem sido importantes, pois sem articulação dos órgãos envolvidos não haveria uma boa produtividade", reforçou o comandante-geral do CBMAM, coronel Danizio Valente.

    "Tenho certeza que com essas ações teremos uma redução substancial dos focos de calor durante este período. Lembrando que o mês de setembro, pelos indicadores que temos acompanhado dos últimos anos, é o mês mais complicado em relação aos focos e a ideia é que possamos fazer este trabalho integrado para diminuir este impacto", completou o secretário estadual de Meio Ambiente, Eduardo Taveira.

    Foco na região sul do Estado - O sul do Amazonas concentra 85% dos focos de calor em todo o estado, por isso será a área prioritária para as ações da força-tarefa estadual. De 1º de janeiro a 26 de agosto, o Amazonas registrou 7.625 focos de calor, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Estão na região sul os sete primeiros municípios no ranking das 10 cidades com mais focos de calor no Amazonas.

    Medidas de combate

    O Governo do Amazonas vem atuando em várias frentes para combater o avanço e controlar as queimadas. No último dia 2 de agosto, quando o monitoramento estadual indicou tendência de crescimento dos focos de calor, o Estado decretou situação de emergência, sendo o primeiro da região Norte a tomar esta medida.

    Foi montado um gabinete de crise e uma força-tarefa, que já está em campo. O Ipaam também passou a usar tecnologia que permite identificar e combater crimes ambientais a distância. Com a ferramenta, instalada na Sala de Situação da Sema, é possível analisar alertas de desmatamento notificados pelo sistema DETER-B, do Inpe, cruzar os dados com o de empreendimentos cadastrados no sistema de licenciamento do órgão, de imóveis registrados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e no Sistema de Gestão Fundiária (Sigef).

    O levantamento já permitiu identificar responsáveis por desmatamento de 99.869,8 hectares, e o Ipaam já aplicou multa de cerca de R$ 4 milhões por desmatamento ilegal em Apuí, município do sul do Amazonas que lidera em focos de calor, com 1.940 focos de calor, do total de 7.150 detectados nos primeiros 20 dias de agosto. A multa deverá ser recolhida ao Fundo Estadual de Meio Ambiente (Fema). Além disso, o infrator multado em Apuí deverá aplicar cerca de R$ 2,2 milhões na reposição florestal.

    Bombeiros

    O CBMAM também reforçou a presença no sul do Amazonas e tem contado em todas as suas ações com apoio de brigadistas formados pela corporação. Só neste ano, foram formados 142 brigadistas nos municípios de Apuí, Humaitá, Manicoré, e Novo Aripuanã, além de Nhamundá.

    De acordo com a Sema, outros 150 serão formados nas próximas semanas em Canutama, Novo Aripuanã, Novo Airão e em Manaus. Todos os municípios da região sul do estado estão recebendo ações educativas da campanha "Um por todos e todos contra as queimadas", realizada pelo Comitê Estadual de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, Controle de Queimadas e Monitoramento da Qualidade do Ar, em parceria com as prefeituras municipais.  

    Os bombeiros contam, ainda, com um drone que está sendo usado no monitoramento e identificação de áreas afetadas por queimadas, o que tem ajudado na escolha da melhor tática e técnica de combate.

    Centro Multifuncional

    Para intensificar as ações de combate aos crimes ambientais no sul do Estado, o governador Wilson Lima inaugurou no último fim de semana o Centro Multifuncional (CMF) de Boca do Acre. Dos quatro CMF em todo o estado, três ficam no sul do Amazonas, nos municípios de Apuí, Humaitá e Boca do Acre, e tem atuado como base para as ações integradas de combate às queimadas.

    A base da Sema e do Ipaam facilita a gestão ambiental, levando serviços de licenciamento e informações para os produtores da região, e faz parte do Projeto de Prevenção e Combate ao Desmatamento e Conservação da Floresta Tropical no Estado do Amazonas (Profloram), uma cooperação Financeira Brasil/Alemanha do Banco Alemão de Desenvolvimento KfW com o Governo do Amazonas.

    *Com informações da assessoria 

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Patrícia de Paula / TV Em Tempo