Fonte: OpenWeather

    'Assédio'


    Enfermeiros denunciam titular do Coren no Amazonas

    Os profissionais alegam sofrer injurias por parte do atual presidente do Conselho.

    Manaus - Um grupo de enfermeiros denunciou ao Portal EM TEMPO estar sofrendo assédio moral por parte do atual presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-Am), Sandro André. A denúncia também foi formalizada no Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). 

    Segundo os denunciantes, que preferiram não se identificar, a inconveniência por parte do gestor começou em julho deste ano. “Atuamos na empresa que substituiu a Sociedade de Enfermeiros da Urgência em Saúde (Coopenure)a cooperativa que o presidente, Sandro apoia. Acredito que por conta disso, a perseguição tenha começado. Ele até diz que não somos habilitados”, explicou o enfermeiro.

    Uma petição com mais de 150 assinaturas de enfermeiros, foi entregue ao Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), solicitando que o titular da Coren-Am, possa se redimir com a categoria que ele representa.

    Resposta

    Em nota enviada ao Portal Em Tempo, o titular do Coren-Am explicou que “a tal prática seria impossível, tendo em vista a inexistência de subordinação hierárquica entre o presidente do conselho e aos profissionais de enfermagem”, esclareceu.

    O presidente lastimou ainda, a ação dos enfermeiros que denunciaram o suposto assédio. "É lamentável que esse mesmo grupo, tente, de maneira sorrateira atacar a imagem pessoal daquele que rompeu um ciclo vicioso e espúrio que prejudicou e adoeceu a classe", ressaltou Sandro André.

    LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA

    O Presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas, Sandro André da Silva Pinto, lamenta a reportagem do jornal EM TEMPO, que noticia a absurda existência de prática de assédio moral aos profissionais do HPS 28 de agosto.

    Primeiramente, o presidente e o conselho não tiveram acesso ao teor da denúncia. Portanto, esta manifestação será baseada de acordo com informações veiculadas pela imprensa. 

    Com relação a acusação de assédio moral, é importante esclarecer que tal prática seria impossível, tendo em vista a inexistência de subordinação hierárquica entre o presidente do conselho e aos profissionais de enfermagem. A posição da presidência é de representação da classe e da Autarquia. 

    É necessário esclarecer que não existe “apoio” de qualquer natureza - seja funcional ou político – a qualquer empresa ou cooperativa de Enfermagem. Tanto é que as ações do conselho desde 2018 foram pautadas no interesse da categoria e da sociedade. Além disso, o enfermeiro Sandro André é servidor público e não tem interesse ou afinidade com qualquer entidade privada.  

    Vale destacar, que desde que assumiu a Presidência, Sandro André sofre ataques sistemáticos, inclusive de indivíduos que por anos ficaram à frente do Conselho e destruíram o patrimônio da Autarquia e toda a política de desenvolvendo profissional da Enfermagem no Estado do Amazonas. 

    É lamentável que esse mesmo grupo, tente, de maneira sorrateira atacar a imagem pessoal daquele rompeu um ciclo vicioso e espúrio que prejudicou e adoeceu a classe. Em pouco mais de 1 (um) ano, a atual gestão trabalha incansavelmente para resgatar e restabelecer políticas públicas de valorização e de justa posição de protagonismo aos profissionais de enfermagem perante o estado. 

    Somente neste ano, o Coren-AM esteve envolvido em pautas estratégicas em âmbito nacional, estadual e municipal, com iniciativas pelo estabelecimento urgente das 30 (trinta) horas para toda a categoria, participação ativa junto ao Ministério da Saúde, onde pessoalmente foi discutido com o Ministro Mandetta as demandas da enfermagem no estado (como sobrecarga, ausência de salários aos trabalhadores terceirizados e de recursos públicos para financiamento da saúde), contribuiu para inauguração da primeira frente parlamentar em defesa da Enfermagem no Congresso Nacional e fez intervenção direta com o Cofen na pauta da reforma da Previdência, buscando a inclusão da aposentadoria especial aos profissionais de Enfermagem. 

    Por fim, ressalta-se que as ações de fiscalização do Coren-AM dobraram no último ano, resultando em ações concretas perante o MPE, MPT, MPF, Polícia Federal e Justiça Federal. Sabe-se que as demandas são muitas, mas, diariamente a Presidência e todo o corpo funcional do Conselho trabalham para entregar aos nossos profissionais, um órgão atuante, parceiro e digno a toda a Enfermagem Amazonense.