Fonte: OpenWeather

    Manaus 350 anos


    Conheça os produtos exóticos do Mercado Adolpho Lisboa

    Café de açaí, banha de cobra, óleo de jacaré, viagra natural e língua de pirarucu, estes são só alguns dos produtos "diferentões" que você encontra por lá

    Mercado Adolpho Lisboa é polo cultural e turístico de Manaus | Foto: Tácio Melo/Semcom

    Manaus - Basta caminhar um pouquinho pela Rua dos Barés, no Centro de Manaus, para encontrar um lindo e imponente prédio em amarelo e laranja. O Mercado Municipal Adolpho Lisboa, nosso Mercadão, é um dos locais que reúne o que há de melhor e mais característico na região. Passeando por lá, é possível encontrar vários produtos derivados de plantas amazônicas, inclusive alguns bem diferentes, considerados exóticos por quem não conhece nossa cultura.

    Veja esta lista com alguns destes produtos que você encontra neste polo cultural e turístico da nossa cidade! 

    Café de açaí, o Cafessaí

    Encontramos na banquinha da dona Amazônia Takeda, alguns exemplares do Cafessaí. Produzido em Manacapuru, município distante 70 quilômetros de Manaus. Este produto é muito indicado para dar energia para um público específico, o das pessoas que malham nas academias.

    Amazônia Takeda está há 50 anos no Mercado Adolpho Lisboa.
    Amazônia Takeda está há 50 anos no Mercado Adolpho Lisboa. | Foto: Leonardo Mota

    "O café de açaí tem potássio, zinco, cobre e manganês. Ele é bom para anemia e para quem está malhando", explica Amazônia, que dos seus 60 anos, 50 foram nesta banquinha no Mercadão.

    O pó do cafessaí é feito com grãos de açaí torrados e moídos. Este produto está disponível em duas opções: somente pó de açaí e açaí + café. Dona Amazônia explica que o gosto é completamente distinto. "Os dois sabores são diferentes. No de café + açaí dá para sentir bem os dois sabores", explica. 

    Cafessaí está disponível em duas opções.
    Cafessaí está disponível em duas opções. | Foto: Leonardo Mota

    No Mercado, correm boatos de que uma mulher chegou a ser a curada de uma leucemia tomando este café regional. A mulher estava com diagnóstico comprovado e a medida que tomava o café, apresentava resultados positivos quando voltava ao médico. 

    Banha de cobra

    A banha de cobra sucuriju é um dos produtos medicinais exóticos que podem ser encontrados no Mercado Adolpho Lisboa. O óleo medicinal é utilizado para o tratamento de hérnia de disco, infecção urinária, reumatismo e cicatrização de ferimentos. 

    Sucuriju é o nome que os ribeirinhos usam para denominar a maior cobra da Amazônia, a sucuri. De acordo com a tradição, mata-se a serpente, põe-se para ferver a banha e, em seguida, retira-se o óleo. No Mercado, é possível encontra-la de várias formas, em cápsula, pomada, gel ou óleo.  

    Banha de cobra serve para o tratamento de hérnia de disco, infecção urinária, reumatismo e cicatrização de ferimentos
    Banha de cobra serve para o tratamento de hérnia de disco, infecção urinária, reumatismo e cicatrização de ferimentos | Foto: Leonardo Mota

    Ana Moura, 38, é uma das vendedoras que dispõem do produto em sua barraquinha. Trabalhando no Mercadão há 25 anos, ela conta que os conhecimentos das ervas e óleos naturais vem de sua família, que é da Ilha de Terra Nova, situada no município de Careiro da Várzea, 28 quilômetros de Manaus. 

    Na barraquinha da Ana tem variedade de ervas medinais, óleos, sabonetes e alguns banhos de descarrego, que segundo o saber popular servem para  conseguir um emprego, arrumar um novo amor ou recuperar a potência sexual. 

    "A banha de sucuriju é um anti-inflamatório e cicatrizante muito poderoso e se usa muito como pós-cirúrgico", explica Ana.  Este produto serve para cicatrizar e desinflamar. "Têm pessoas que tomam para desinflamar por dentro. Para quem sofreu acidente de moto, por exemplo, pode passar para cicatrizar rápido", conta. 

    Ana acredita que cada produto que vem da natureza tem a sua importância. Segundo a vendedora, os itens mais procurados pelas pessoas são os óleos de andiroba e copaíba, que são utilizados tanto para passar no corpo, quanto para fazer xarope. 

    Perfume da bota

    No Amazonas, os botos, são associados à fertilidade e ao poder de atração. No interior do estado há uma lenda de que este mamífero aquático sai dos rios amazônicos nas noites de festa junina e consegue se transformar num jovem atraente e galanteador vestido com roupa social branca. O boto vai então a festas e bailes noturnos em busca de jovens mulheres bonitas. Acredita-se que ele consegue convencer as mulheres para um passeio no fundo do rio, local onde costuma engravidá-las. Na manhã seguinte volta a se transformar no boto. 

    Óleo atrai parceiros para quem o utiliza nas regiões íntimas.
    Óleo atrai parceiros para quem o utiliza nas regiões íntimas. | Foto: Leonardo Mota

    Desta lenda vem a crença popular de que a essência íntima da bota colabora para arrumar um parceiro. Ana afirma que a procura maior pelo produto vem do público feminino. "As mulheres usam o óleo da bota para passar nas partes íntimas, com o objetivo de atrair homens ou prender relacionamento", ressalta. 

    De acordo com a tradição, o  óleo, ou "perfume da Bota",  é elaborado com a mistura de algumas ervas, álcool e feromônios da genitália da bota. Ana não acredita que hoje em dia as pessoas mantêm o animal para fazer a essência. "Os botos são muito especiais para nós, espero que não façam essa maldade com eles", diz.  

    Banha de jacaré, viagra natural e óleo da tartaruga

    Alberto Matos, 65, é um dos vendedores que está há anos no Mercadão. Ele trabalha neste ponto turístico da cidade há mais de 35 anos e herdou a barraquinha do pai. 

    Alberto Matos está há mais de 35 anos no Mercadão.
    Alberto Matos está há mais de 35 anos no Mercadão. | Foto: Leonardo Mota

    No seu estande, é possível encontrar cachaças artesanais paraenses e amazonenses, de jambu, açaí e cupuaçu, além de mel, andiroba, copaíba, óleos essenciais, xaropes, capsulas, gel para dores e massagem, sabonetes, guaraná em bastão, guaraná em pó, entre outros produtos naturais. 

    Banha de jacaré combate tuberculose e meningite.
    Banha de jacaré combate tuberculose e meningite. | Foto: Leonardo Mota

    Um dos que chamam bastante atenção é a banha de jacaré, que serve para combater doenças como a tuberculose e a meningite. Toma-se com mel de abelha. Já o sebo de carneiro, serve para inchaços e dores nas articulações.

    Quem precisa de um cicatrizante pode também recorrer ao 'copaiju', uma pomada que leva copaíba e óleo de sucuriju. A mistura acrescida de mentol pode ser usada em cirurgias, feriadas e inchaços. 

    O óleo de tartaruga, também disponível na banquinha do senhor Alberto, serve como base para outros cremes e ainda para amenizar um pesadelo para as mulheres, a variz. 

    Banha de tartaruga  combate as temíveis varizes.
    Banha de tartaruga combate as temíveis varizes. | Foto: Leonardo Mota

    Se você já se interessou por estes produtos, espere até conhecer o viagra natural. Esta receita já levou o senhor Alberto até o programa da Ana Maria Braga. O estimulante consiste numa combinação entre guaraná, mirantã, catuaba, murapuama, ginseng, mururé, chichua e romã. O produto funciona especialmente para os homens. 

    Viagra natural é um excelente estimulante para os homens.
    Viagra natural é um excelente estimulante para os homens. | Foto: Divulgação

    Derivados do jambu

    O jambu é uma erva típica da região Norte do Brasil, muito conhecida por sua presença em um prato famoso da região, o tacacá. No Mercado Adolpho Lisboa, é possível encontrar vários derivados desta erva, como cachaça, geleia, caipirinha, pimenta e até mesmo conserva.

    No Adolpho Lisboa não faltam opções de produtos derivados do jambu.
    No Adolpho Lisboa não faltam opções de produtos derivados do jambu. | Foto: Leonardo Mota

    Waylle de Sousa, 20, explica um pouco sobre cada um dos itens. A geleia de jambu é produzida em Belém do Pará e tem um gosto saboroso, sem abrir mão da dormência, que é típica desta erva. A cachaça também proporciona a mesma experiência, com uma sensação de salivação intensa após sua ingestão. 

    A dois meses no Mercadão, o maranhense Waylle se diverte conhecendo os produtos da região.
    A dois meses no Mercadão, o maranhense Waylle se diverte conhecendo os produtos da região. | Foto: Leonardo Mota

    O vendedor maranhense trabalha há apenas dois meses no Mercadão. Para ele, tem sido uma experiência interessante. "Eu não conhecia esses produtos, mas acho impressionante conhecer cada um. Também acho legal ver a reação dos visitantes, que não conhecem o que é vendido aqui", diz. 

    A conserva de flor de jambu é um ótimo tira gosto.
    A conserva de flor de jambu é um ótimo tira gosto. | Foto: Leonardo Mota

    Outro produto que ele nos apresenta é a flor de jambu em conserva, que serve para adicionar na carne ou na salada.  "Você corta em pedacinhos e usa como tira gosto de cerveja, é bem gostoso", explica Waylle. 

    Arquitetura

    Com duas fachadas completamente distintas, o Mercadão tem uma frente para o Rio Negro, na avenida Lourenço da Silva Braga, e outra - e mais famosa - na Rua dos Barés. O prédio é um dos principais exemplares da arquitetura de ferro, sem similar em todo o mundo, tombado como Patrimônio Histórico Nacional, em 1º de julho de 1987, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 

    Prédio do Mercadão é símbolo do período áureo da borracha.
    Prédio do Mercadão é símbolo do período áureo da borracha. | Foto: Ingrid Anne/Semcom

    Símbolo do período áureo da borracha, a arquitetura deste prédio é uma relíquia para todos o Brasil. Sua construção foi iniciada em 1880 com material importado da Europa e inaugurado no dia 15 de julho de 1883. Seu nome é uma homenagem ao prefeito de Manaus à época de sua construção, Adolpho Lisboa. Em 2006 o local foi interditado para passar por obras de restauro, sendo entregue após sete anos, em 23 de outubro de 2013.