Fonte: OpenWeather

    Fim de contrato


    Processo de transição de gestão do Francisca Mendes é iniciado

    A comissão atuará sob o comando de um diretor nomeado pela secretaria para conduzir todo o processo

    A comissão deve realizar estudos de soluções a serem implementadas | Foto: Divulgação/Susam

    Manaus -  A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) iniciou, nessa sexta-feira (4), o processo de transição de gestão do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM). O secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias de Sousa, esteve na unidade onde apresentou a Comissão de Transição, formada por servidores efetivos, sendo três da Susam e três do Hospital Francisca Mendes.

    O grupo vai atuar dentro da unidade no período que antecede o fim do contrato com a Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões (Unisol). A vigência do contrato vai até 4 de dezembro de 2019 e, por isso, a Susam vem trabalhando no planejamento do novo formato de gestão para o hospital, referência em Cardiologia no Estado.

    A comissão atuará sob o comando de um diretor nomeado pela secretaria para conduzir todo o processo.

    Conforme o decreto que institui a comissão, enviado na quinta-feira (3) para publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), uma das atribuições do grupo é realizar estudos de soluções administrativas, jurídicas, financeiras e assistenciais a serem implementadas, bem como garantir a normalidade no funcionamento da unidade no período de transição.

    A comissão ainda deverá organizar a carta de serviços da unidade, além de levantar todos os débitos pendentes da fundação com fornecedores e manter o controle sobre fornecimento de insumos, com vistas à continuidade na prestação de serviços, entre outras funções.

    “Queremos assegurar uma transição tranquila para quem trabalha, para fornecedores e, sobretudo, aos usuários e pacientes. A missão dessa comissão é garantir que tudo ocorra de forma planejada e organizada para um novo momento que se constrói”, disse Rodrigo Tobias.

    Segundo ele, com o término do contrato, a Susam vai gerir o hospital até à definição de um novo modelo de gestão para a unidade. “No primeiro momento, sairemos da gestão terceirizada para a gestão direta da secretaria que perdurará enquanto definimos o modelo futuro de gestão”, assegurou Tobias.

    Quadro de pessoal é prioridade

    A prioridade da comissão no primeiro dia foi o levantamento do quadro de pessoal já visando um estudo para a forma de contratação dos profissionais, ao fim do contrato da Unisol.

    “A gente entende que as pessoas que estão aqui são as que devem permanecer, porque esse é um serviço especializado que não pode sofrer descontinuidade”, disse o secretário, ressaltando que o estudo vai apontar quais as reais necessidades.

    “Estamos aqui para resolver todas essas questões, mas, sobretudo, para construirmos um modelo sustentável para o Hospital Francisca Mendes”, disse a secretária Executiva da Capital da Susam, Dayana Mejia de Sousa.

    Rodrigo Tobias estava acompanhado ainda do secretário Executivo, João Paulo Marques e do secretário do Fundo Estadual de Saúde e ordenador de despesas, Perseverando Trindade.

    O secretário observa que todo o processo também vem sendo apresentado e discutido em reuniões com o Ministério Público Estadual (MPE), Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), direção da Unisol, corpo médico, sindicatos e fornecedores. Somente nesta semana, duas reuniões foram realizadas na ALE-AM e uma na Susam, que aconteceu na terça-feira (1º) com  os fornecedores, ocasião em que o planejamento foi apresentado.

    Sobre o fim do contrato 

    O contrato de gestão do HUFM encerra em 4 de dezembro próximo e não será renovado por recomendação do MPE, que ajuizou ação contra a fundação com base em parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE), o qual afirma não estar entre as finalidades da Unisol a prestação de serviços médicos e hospitalares.

    Conforme a recomendação do MPE, a Susam não pode renovar nem celebrar quaisquer contratos, convênios, termos e cooperação para prestações de serviços médico-hospitalares ao Governo do Estado do Amazonas, ou a qualquer outro ente público com a Unisol. O órgão de controle externo também pede a suspensão da prestação de serviços médicos hospitalares

    Sobre o hospital

    O HUFM possui 165 leitos e é referência na rede pública de saúde em atendimento de alta complexidade em cardiologia, incluindo cirurgia cardíaca (adulto e pediátrica), cardiologia intervencionista (cateterismo cardíaco, angioplastia), cirurgia vascular, além de oferecer tratamento em neurologia e neurocirurgia. Possui um núcleo de telemedicina para de teleconsultas e exames cardiológicos à distância.

    Comissão de Transição

    Pela Susam, integram a Comissão de Transição Edilson Albuquerque (diretor de transição), Maximina Malagueta (gerente de Enfermagem), Jailce Garcia (Departamento Financeiro). Pela Francisca Mendes, Sara Abreu (secretária Executiva), Rafael Brito (Farmacêutico),  Rovanda Sena (Médica).

    *Com informações da assessoria