Fonte: OpenWeather

    Trânsito


    Motocicletas: velocidade e imprudência sobre duas rodas

    Em oito meses foram registrados 56 acidentes com vítimas fatais envolvendo motocicletas em Manaus

    De 1 de janeiro a 27 de setembro de 2019 o IMMU registrou 56 vítimas fatais. | Foto: Josemar Antunes

    Manaus - Quem anda pelo trânsito manauara sabe o estresse que enfrentam os condutores em horários de pico. Motocicletas e carros disputam espaço para poder se deslocar com maior agilidade. Estatísticas do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) apontam que o número de acidentes de trânsito fatais envolvendo motociclistas diminuiu 3,45% em comparação ao mesmo período do ano passado. De 01 de janeiro a 27 de setembro de 2018, foram 58 vítimas fatais em acidentes envolvendo motociclistas. Em 2019, foram 56. 

    Dados do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU).
    Dados do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU). | Foto: Desirée Souza

    Francisco Andrade, empresário de 54 anos, sentiu na pele os problemas da deficiência. Ele sofreu um acidente ao atravessar um sinal vermelho, nas proximidades da Avenida Brasil, no dia 10 de dezembro de 2016. "O sinal estava fechado para mim. Eu estava de moto, andando a uns 20 km/h. Um carro saiu de um supermercado e como eu não vi, nos colidimos. Não culpo a motorista, eu me sinto mais culpado", contou. 

    Francisco sofreu um acidente grave em 2016.
    Francisco sofreu um acidente grave em 2016. | Foto: Arquivo Pessoal

    O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou rápido para prestar socorro. Francisco relata que em mais ou menos cinco minutos a equipe médica já estava lá. O empresário foi encaminhado para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, onde fez a primeira cirurgia. "Tive fratura exposta. Senti muita dor, fiquei meses com quatro pinos para fora da perna.  Depois fiz a segunda cirurgia, no HUGV, onde foi colocado uma haste de aço cirúrgico por dentro da tíbia, que vai fazer parte da minha vida, ou melhor, já faz parte", compartilha. 

    Ele também precisou de várias sessões de fisioterapia para melhorar. Até hoje o empresário sente as sequelas do acidente. "Se eu andar um pouco mais a minha perna fica inchada. O acidente foi grave, mas graças a Deus, hoje estou 95% bem", disse. 

    Regina, Yasmin (filha) e Robson (marido).
    Regina, Yasmin (filha) e Robson (marido). | Foto: Arquivo Pessoal

    Quem vê a cantora Regina Lima, 43, performando nos palcos, não imagina o pesadelo que ela viveu ao sofrer um acidente de moto em 2002, também num cruzamento da Avenida Brasil. "Estava com minha amiga de moto, eu ia na garupa", relembra. As duas cruzaram a via sem observar a placa de 'Pare'. Regina relata que só lembra de fechar os olhos, abaixar a cabeça e dizer: "Vai bater". 

    Uma van as atingiu em cheio. "Eu 'voei' porque não tinha um ponto de apoio. Fui jogada longe, muitos pensaram que eu tinha morrido. Fiquei mal mesmo, desenganada várias vezes pelos médicos, pois passei dias na UTI, com traumatismo craniano, fêmur quebrado, trauma de face, escoriações pelo corpo, mas graças a Deus estou aqui, minha amiga também", contou. 

    A amiga de Regina quebrou o fêmur e até hoje tem 20 centímetros de platina e sete parafusos na perna esquerda.  "Não gosto de lembrar desse momento porque dói, na verdade muitas das vezes ele nem existiu na minha cabeça, até que alguém me lembre", diz Regina. "Minha amiga e eu nascemos de novo e sempre vamos agradecer a Deus pelo livramento", relata. 

    A amiga de Regina chegou até a ficar um tempo em cadeira de rodas. O período foi tão traumático que elas não têm registro algum do que aconteceu e do seu período de recuperação. 

    Abdala Fraxe também foi vítima de acidente de moto

    Um caso que tomou bastante repercussão nos últimos tempos foi o acidente do economista e deputado estadual do Amazonas, Abdala Fraxe (Podemos). O político e a esposa, Shádia Fraxe, sofreram um grave acidente de moto no dia 8 de setembro deste ano, na AM-070. O casal retornava de Novo Airão, município distante 195 quilômetros de Manaus. 

    Abdala e  Shádia Fraxe.
    Abdala e Shádia Fraxe. | Foto: Reprodução/Facebook

    Ao desviar de um buraco, a moto derrapou. O deputado e a esposa foram arremessados para fora da estrada. Abdala quebrou os dois tornozelos e a esposa fraturou o braço esquerdo.

    No dia 26 de setembro, 18 dias após o acidente, o deputado já voltou ao trabalho. Em uma rede social, publicou: 

    "Agradeço a Deus pela possibilidade de retornar, antes mesmo do previsto, com algumas limitações, mas com muita vontade de trabalhar. E aproveito também para agradecer pelo carinho que eu e minha esposa recebemos das pessoas, pelas orações que foram muito importantes nesse momento de recuperação. Muito obrigado a todos!"

    O deputado ainda está andando em cadeiras de rodas e terá que passar por um período de fisioterapia, até recuperar a força das pernas e poder ficar em pé. 

    Velocidade e imprudência

    O especialista em trânsito Haniery Mendonça, explica que a procura da população por este meio de transporte se deve a atual situação dos transportes públicos e também pelo alto valor do combustível.  Por outro lado, os acidentes de moto acontecem por dois principais fatores: velocidade e imprudência dos condutores, que andam de moto entre os carros de forma desordenada. "Sempre tem o excesso de velocidade no meio, sempre", ressalta. 

    Para evitar acidentes com motocicleta, o especialista indica a utilização de equipamentos de forma segura e cursos de aprimoramento para obter mais conhecimento sobre a utilização segura da motocicleta.

    "Eles (os motociclistas) querem utilizar a motocicleta de qualquer forma.  Temos que lembrar que a velocidade faz com que a adrenalina suba e automaticamente isso gera acidentes", diz. 

    Outro fator importante a ser lembrado, de acordo com o especialista, é a estrutura atual das vias. "Nós não temos vias largas por aqui, a nossa rua é muito apertada e a quantidade de veículos está ficando cada vez maior", complementa. 

    Dados 

    Dados do trânsito em geral, fornecidos pelo  Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), apontam que, de 01 de janeiro a 23 de agosto de 2018, Manaus registrou 140 acidentes com vítimas fatais, envolvendo carros e motos. No mesmo período, em 2019, foram 128. Uma redução de 8,57%.  As vias com o maior número de ocorrências foram Autaz Mirim, Cosme Ferreira e avenida do Turismo.