Fonte: OpenWeather

    Cozinhas Comunitárias


    Cozinhas comunitárias servem mais de 2 mil refeições por dia em Manaus

    O objetivo é combater a fome da população em condição de vulnerabilidade social e econômica

    O Dia Mundial da Alimentação foi celebrado desta quarta-feira (16) | Foto: Arquivo / Semasc

    Manaus- Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), com o intuito de sensibilizar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação, o Dia Mundial da Alimentação, celebrado na quarta-feira (16), teve um significado especial para a Prefeitura de Manaus, nesta quarta-feira (16). Com seis Cozinhas Comunitárias e dois Restaurantes Populares, em sua estrutura, por meio desses equipamentos sociais, a prefeitura serve uma média de 2.200 refeições diariamente.

    Administrados pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), as Cozinhas Comunitárias e os Restaurantes Populares combatem a fome da população em condição de vulnerabilidade social e econômica, além de assegurar uma política de segurança alimentar e nutricional por parte do município.

    “Estes equipamentos são um dos projetos mais importantes que temos, pois leva alimentação saudável e de qualidade à população. E essa é uma grande preocupação do prefeito Arthur Virgílio Neto, que em sua administração foca no fortalecimento desta temática, fazendo com que toda família manauara tenha sua alimentação garantida”, destacou a secretária da Semasc, Conceição Sampaio.

    De janeiro a setembro deste ano, ao menos 117 mil refeições foram servidas nos Restaurantes Populares, contemplando a faixa de 500 pessoas por dia em cada equipamento. Localizados no bairro Compensa, zona Oeste, e no Parque Municipal do Idoso, na zona Centro-Sul, os restaurantes são equipamentos públicos de alimentação e nutrição, cuja refeição é vendida no valor simbólico de R$ 1.

    Nas Cozinhas Comunitárias, no mesmo período, o total de 137.758 refeições foram servidas, e uma média de 200 pessoas, frequentam esses espaços diariamente. O público-alvo desse programa são trabalhadores, estudantes, donas de casa, idosos, catadores de materiais recicláveis, desempregados e demais pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica.

    As cozinhas estão localizadas em áreas vulneráveis da capital, nos bairros do Educandos e Colônia Oliveira Machado, zona Sul; Colônia Antônio Aleixo, Val Paraíso e Vila da Felicidade (Ceasa), zona Leste; e Santo Agostinho, zona Oeste.

    De acordo com a diretora do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Dsan) da Semasc, Cleonice Freitas, o público-alvo dos restaurantes populares é a comunidade de modo geral, porém no parque do Idoso, em virtude dos usuários em sua maioria serem da terceira idade, a alimentação é balanceada e diferenciada na questão do tempero.

    “O trabalho com as cozinhas comunitárias é diferenciado, voltado para as famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e econômica, as cozinhas fazem um cadastro das famílias, que lhes dá prioridade no atendimento. Além da refeição, é feito todo um trabalho assistencial, entretenimento, cursos de capacitação e também apoio pedagógico às crianças”, destacou.

    Toda a alimentação das Cozinhas Comunitárias é obtida por meio de doações, de parceiros esporádicos que variam diariamente. Os interessados em contribuir, podem procurar o Dsan, na avenida Ayrão, esquina com a avenida Ferreira Pena, Centro, ou entrar em contato pelos números (92) 98842-1193 ou (92) 98842-2932.

    *Com informações da assessoria