Fonte: OpenWeather

    Feiras


    Amazonas vai ganhar mais 20 feiras de produtos regionais

    O investimento do Governo do Estado foi de R$ 696,8 mil desde o início do ano

    As feiras começaram a funcionar, agora em 2019 | Foto: Divulgação

    Manaus- Até o fim do ano, mais de 20 Feiras de Produtos Regionais serão instaladas em municípios do interior pela Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS). Os empreendimentos têm incentivado cada vez mais o desenvolvimento da cultura agrícola no estado.

    As feiras começaram a funcionar, agora em 2019, em Barreirinha, Benjamin Constant, Manicoré e Nhamundá.  Nas cidades de Maués e Iranduba estão em processo de implantação. Houve ainda investimento para a reestruturação da feira em Parintins.

    O investimento do Governo do Estado foi de R$ 696,8 mil desde o início do ano. Este recurso foi utilizado na aquisição dos chamados kits-feira, que contam com tendas, expositores de pescado, mesas, cadeiras, coletes, bonés e faixas de identificação.

    Com a ampliação do programa, 2.867 mil produtores do interior passaram a ser beneficiados. Até 2018, este número era de 2.668 produtores. Com o aumento do número de empreendimentos no interior do estado, o faturamento das feiras atingiu R$ 3,8 milhões no período de janeiro a setembro.

    Presidente Figueiredo, Urucará, Eirunepé, Boca do Acre e Amaturá também passarão a compor, ainda neste ano, a lista das cidades beneficiadas pelo programa. A previsão de investimento a ser feito é de R$ 421,7 mil.

    Até 2018, Beruri, Boa Vista do Ramos, Careiro Castanho, Humaitá, Lábrea, Manacapuru, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Rio Preto da Eva, Silves, Tefé e Tonantins eram as cidades onde as feiras funcionavam.

    Cultura agrícola

    De acordo com o presidente da ADS, Flávio Antony Filho, o produtor rural, quando passa a vender o seu produto diretamente ao consumidor final, consegue se capitalizar e, com isso, investir em tecnologia para a melhoria do sistema produtivo. “Consequentemente, ele (o produtor) avança em todas as etapas, como plantio, preparo da área, colheita e pós-colheita, o que contribui para a melhoria da qualidade do produto final”, afirma.

    O gestor da ADS chama a atenção ainda para o fato de que, à medida que a produção aumenta, por conta dos investimentos em tecnologia e da aquisição de sementes de melhor qualidade, o agricultor passa a ter maior volume de produção com o uso da mesma área plantada. Esse fator impacta positivamente na preservação ambiental, uma vez que se reduz a necessidade de desmatamento da floresta.

    *Com informações da assessoria