Fonte: OpenWeather

    Procura-se


    Dependente químico desaparece após ser expulso de quitinete em Manaus

    Uma venezuelana informou para família do homem que ele tinha sido expulso do quarto alugado

    O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Ordem Política e Social
    O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Ordem Política e Social | Foto: Divulgação

    Manaus - A família de Dieini Fiesca da Silva, de 29 anos, está a procura dele. O jovem desapareceu desde o início da tarde do dia 7 de janeiro deste ano. A última vez em que o homem foi visto, ele estava almoçando, por volta de meio-dia,  com a companheira dele, a advogada Fernanda Silva, em um restaurante localizado na feira da Panair, no bairro Educandos, Zona Sul da capital.

    Segundo Fernanda, o companheiro é dependente químico e havia sido expulso de um quitinete que ela alugou no dia do desaparecimento.

    "O Dieni estava internado em um clinica de reabilitação, que funciona em um sítio no Tarumã. Eu moro com a família dele em Urucurituba. Há 15 dias, vim a Manaus a trabalho e descobri que ele havia sido desligado do local porque teve uma recaída. Então, ele passou a morar na rua. Conseguimos o encontramos na área do Panair e alugamos um quarto para ele se abrigar, no Colônia Oliveira Machado. Depois do almoço, ele disse que iria para o quitinete. Fomos a noite no local e uma venezuelana informou que ele tinha sido expulso", explicou a mulher. 

    A companheira do desaparecido, ainda relatou que não conseguiu entrar em contato com o responsável do imóvel, com quem ela havia feito o acordo e o pagamento de um mês de aluguel, no valor de R$ 200. 

    "Eu fiz o contrato com um homem, quando voltei a noite eu não o encontrei. Apenas essa venezuelana, que foi bastante arrogante. Ela disse que o Dieni não podia ficar no quarto, porque no imóvel ficava havia um registro de água. E que ele foi expulso por volta das cinco da tarde da última segunda-feira", disse Fernanda. 

    Familiares informaram que Dieini possui a letra “J” tatuada no braço direito e usava uma bermuda azul e camiseta branca. O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops).

    Quem puder colaborar com informações sobre o caso, entrar em contato com os servidores da Deops pelo número (92) 3214-2268. Para falar com os parentes do desaparecido, ligar para o número (92) 98407-8550.