Educação


Projeto de incentivo à leitura promove transformação no Mauazinho

Projeto "Imaginação na Ponta do Lápis" é desenvolvido na escola Nova vida, localizada na Zona Leste de Manaus, e já promove mudanças no desenvolvimento educacional das crianças

As crianças têm a oportunidade de produzir suas próprias histórias
As crianças têm a oportunidade de produzir suas próprias histórias | Foto: Em Tempo

Manaus - O programa Conversa Franca da WEB TV EM TEMPO, apresentado pela jornalista Tatiana Sobreira, visitou no dia 25 de dezembro a escola municipal Nova Vida, localizada no bairro Mauazinho, na Zona Leste da capital amazonense, com o intuito de conhecer o projeto “Imaginação na Ponta do Lápis”.

Coordenado pela professora Luceni Ferreira, o projeto é desenvolvido principalmente entre crianças de 8 e 9 anos, que cursam a terceira série. Seu principal objetivo é promover a leitura e estimular a produção textual. Um dos métodos de incetivo são os mecanismos de incentivo dentro da sala de aula, com atividades lúdicas relacionadas a produção textual.

Ao longo do ano letivo vários jogos e desafios lúdicos que buscam fomentar a prática, como o “Guarda Textos”, onde diariamente uma criança é escolhida para ler um texto sorteado para turma inteira. Essa atividade busca encorajar o aluno, para que o exercício seja algo divertido e não assustador. 

Além disso, as crianças têm a oportunidade de produzir suas próprias histórias. Durante meses elas contam com a orientação da professora, que acompanha e desenvolve individualmente as narrativas dos alunos, geralmente relacionadas com a região amazônica e de cunho fantasioso, que no fim resultam em livros em versões físicas e digitais. 

O projeto “Imaginação da Ponta do Lápis” exerce um papel de transformação social, uma vez que favorece o desenvolvimento da educação e da cultura para crianças do sistema público de ensino, moradoras de um bairro com diversos problemas sociais (como a ausência de infraestrutura e o alto índice de violência), e, por isso, estruturalmente não contam com mecanismos suficientes para desenvolver potencialidades. 

Para entender e conhecer melhor essa iniciativa confira a entrevista na íntegra: