Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Cartel de postos de combustíveis é denunciado à PF, em Manaus

    A atividade deve ser investigada, segundo o deputado estadual Álvaro Campelo, responsável por levar o caso ao órgão

    Aumento abusivo na capital amazonense acontece há duas semanas
    Aumento abusivo na capital amazonense acontece há duas semanas | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito, que aponta indícios de cartel entre postos combustíveis de Manaus, e outros documentos foram entregues, nesta quinta-feira (30), ao superintendente da Polícia Federal (PF) do Amazonas, o delegado Alexandre Saraiva. A atividade deve ser investigada, segundo o deputado estadual Álvaro Campelo (Progressistas), responsável por levar o caso ao órgão.

    Segundo Álvaro, a notícia-crime de formação de cartel já foi apresentada ao Ministério Público Federal, em conjunto com a Defensoria Pública do Estado e a OAB-AM, em julho de 2016. Desta vez, ele espera que algo seja feito para coibir a padronização de preços abusivos, principalmente da gasolina.

    Compondo os documentos protocolizados, consta, ainda, o pedido de investigação sobre a existência de cartel, feito em 2018 na PF, por meio da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), da qual o parlamentar faz parte, por ser advogado.

    Uma audiência entre o Ministério Público do Amazonas, Assembleia Legislativa do Amazonas, órgãos de defesa do consumidor, motoristas de aplicativos, taxistas, mototaxistas, caminhoneiros e consumidores será realizada no próximo dia 3 de fevereiro, às 9h, na sede da Aleam, para tratar das medidas judiciais que serão tomadas, diante dos aumentos abusivos dos combustíveis.

    “Nesse momento, há necessidade da união de forças, em especial de órgãos tão importantes como o Ministério Público e a Polícia Federal, para combater esse massacre que os consumidores estão sofrendo”, afirmou Álvaro.

    *Com informações da assessoria