Fonte: OpenWeather

    Zona Norte


    No Nova Cidade, lixeira viciada é alvo de descarte de animais mortos

    A lixeira viciada, situada na rua 54, atrapalha também a passagem e o fluxo dos moradores e veículos

    Além de lixo, um animal morto foi jogado no local | Foto: Naylene Freire

    Manaus - Você já imaginou caminhar em uma rua e se deparar com uma “montanha de lixo” em área urbana? Os moradores do bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus, estão encontrando dificuldades para transitar em uma via ao lado de uma instituição pública. A lixeira viciada fica localizada na rua 54 do bairro, ao lado da Escola Estadual Professora Tereza Siqueira Tupinambá, Zona Norte de Manaus.

    De acordo com os moradores, após a rua passar por um recapeamento, o órgão responsável pela reforma abandonou um montante de asfalto na via. Os populares, acreditando que o entulho seria retirado, começaram a jogar lixo, restos de móveis, e foi assim que uma lixeira a céu aberto começou no conjunto.

    Segundo a população, o local virou um depósito de lixo e deu início a conflitos entre os próprios moradores, que desaprovam as atitudes de alguns - que insistem permanecer colocando lixo, inclusive animais mortos.

    Alexandre Pinheiro, de 23 anos, que trabalha como repositor de segunda-feira a sábado, contou sobre o problema em questão.

    “Quando vimos os caminhões, ficamos felizes por recapearem as ruas. Essa rua [54] estava muito feia, então reformaram e ficou ótima. Mas, aí esqueceram de tirar o entulho e as pessoas que não têm noção, começaram a jogar mais lixo ainda. Agora, estamos com essa montanha de lixo no meio da via atrapalhando a passagem, e sem contar o odor”, relatou Alexandre.

    Restos de guarda-roupas já foram jogados no local
    Restos de guarda-roupas já foram jogados no local | Foto: Naylene Freire

    Outros vizinhos de Alexandre contaram sobre a atual situação da via. Uma dona de casa, que manteve a identidade em sigilo por medo de represália, já tentou inúmeras vezes conscientizar os vizinhos, porém, diz que não obteve sucesso.

    “Já jogaram tudo que você imagina neste lugar, inclusive gato morto. Foi um fedor aqui, que ninguém aguentava. Eu acordava com aquele cheiro de podre, era horrível. Meu esposo que retirou o animal e foi enterrar lá embaixo [final da avenida Nepal]. Eu brigo com as pessoas quando vejo elas jogando lixo aí, não é porque a Prefeitura errou que iremos errar também”, declarou a dona de casa. 

    A mulher contou ainda que já foi ameaçada por não querer que joguem lixo em lugar indevido. “Eles me perguntaram o que eu tinha a ver com isso e porque eu fico defendendo a Prefeitura. Eles não entendem que o meu interesse não é público, e sim particular. Você já imaginou uma lixeira em frente à casa, onde mora?”, questionou a mulher.

    Prefeitura

    A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) é responsável pelo recapeamento na capital. Por esse motivo, o Em Tempo procurou o órgão para mais informações sobre essa situação específica.

    De acordo com a secretaria, uma equipe do Distrito de Obras da Seminf será enviada ao local até o final desta semana. Caso seja constatado que a situação é de responsabilidade do órgão, o problema será sanado imediatamente.