Fonte: OpenWeather

    alerta


    CV 'marca território' dentro de escola em Manaus e amedronta pais

    Pais e responsáveis dos alunos da Escola Tereza Tupinambá, localizada no bairro Nova Cidade, temem pela segurança dos alunos

    A escola é localizada na Avenida Nepal, uma das principais do bairro | Foto: Naylene Freire

    Manaus - Preocupados, pais e responsáveis de alunos que estudam na escola Estadual Professora Tereza Siqueira Tupinambá, localizada na avenida Nepal, bairro Nova Cidade, zona Norte de Manaus, entraram em contato com o Em Tempo para denunciar a ação de traficantes do bairro. O Comando Vermelho, tradicional facção do Rio de Janeiro com tentáculos de forte atuação em Manaus, domina a área e demonstra, por meio de pichações nos muros das casas e da unidade de ensino, quem supostamente "manda no local".

    Com início do ano letivo de 2020 nesta semana, os pais ficam cada vez mais preocupados com a segurança dos 868 alunos que compõem o quadro discente. As pichações com a sigla do “Comando Vermelho" estão por todos os lados, fora e dentro da unidade. Rabiscos que demonstram a atuação cada vez mais presente dos criminosos no local. O medo das famílias é que esses alunos estejam expostos às facções, e que a escola se torne palco de tragédias em Manaus. 

    “Meu filho vende trufa na escola. Eu incentivo porque ele já tem 14 anos e é um modo de motivá-lo a ganhar o próprio dinheiro honestamente. Outro dia, ele disse que um “colega” chegou curtindo com a cara dele, dizendo que se quisesse ganhar dinheiro, ele podia vender drogas. O menino ainda disse que ele ganharia muito mais. Eles estão recrutando dentro da escola. Isso é inadmissível. Imagine uma mãe ouvir isso? ”, relatou a mãe de um adolescente de 14 anos, que preferiu não se identificar com medo de represália.

    A mulher continuou o desabafo, pois teme pelas amizades do filho: “Eu não tenho condições, pois se tivesse claro que iria colocá-lo para estudar em escola particular. Essa escola é muito boa, eu não tenho o que reclamar, mas deixaram pichar na parte de dentro. Isso demonstra que a facção já está atuando dentro da escola. Nem os professores têm domínio disso. É algo que apavora”, afirmou a mãe.

    As pichações estão dentro e fora da unidade educacional
    As pichações estão dentro e fora da unidade educacional | Foto: Naylene Freire

    A escola é uma das favoritas da região, e atende maior conjunto habitacional da Zona Norte, o Conjunto Nova Cidade. Atualmente, o bairro tem mais de 22 mil famílias, que contam com poucas escolas.

    Outros pais estavam presentes, mas por medo não quiseram falar com a reportagem.

    Resposta da Secretaria

    A Secretaria de Estado de Educação e Desporto informou que "infelizmente, as pichações são práticas que causam poluição visual negativa aos prédios públicos, entretanto, a pasta trabalha para coibir estas condutas mantendo parceria com as autoridades policiais da área, principalmente, por meio do Projeto Ronda Escolar". O objetivo é inibir ocorrências, inclusive dessa natureza, e manter um ambiente escolar seguro e tranquilo.

     De acordo com a secretaria, a escola já está incluída na programação da pasta e está passando por obras de revitalização, que inclui a renovação da pintura. As pichações com inscrições que fazem apologia a facções criminosas serão apagadas.

     Histórico da Escola

    A unidade educacional homenageia a professora Tereza Siqueira Tupinambá, que teve grande importância na esfera educacional do Estado do Amazonas. O colégio atende o público infanto-juvenil, qdo Ensino Fundamental 2 - do 6º ao 9º ano, e Avançar 3 e 4, nos turnos Matutino e Vespertino.

    Além disso, a escola desenvolve Projetos como Ler e Escrever na Escola, Futsal e Tênis, Brincando com a Matemática, Diversidade Cultural e Projetos de Valores.