Fonte: OpenWeather

    PAC em Movimento


    Sejusc oferece emissão de documentos básicos em Benjamin Constant

    PAC em Movimento estará no município entre os dias 11 e 14 de fevereiro

    A expectativa é que sejam atendidos cerca de 500 indígenas na região | Foto: Arthur Castro/Sejusc

    Manaus- O “PAC em Movimento”, projeto do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), oferecerá emissão de documentos, entre os dias 11 e 14 de fevereiro, no município de Benjamin Constant. Entre os serviços estão primeira e segunda vias de carteira de identidade e segunda via de certidão de nascimento, além dos demais itens para solicitar a documentação.

    Segundo a secretária da Sejusc, Caroline Braz, o Estado, em parceria com a Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM), Fundação Nacional do Índio (Funai), Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) e Prefeitura de Benjamin Constant, realizarão o casamento coletivo indígena, que acontecerá no município no mesmo período, e, na ocasião, disponibilizará os serviços em quatro comunidades. Ela destaca que a expectativa é que sejam atendidos cerca de 500 indígenas na região.

    “O Governo do Amazonas está levando cidadania para os locais mais descentralizados e, assim, facilitando o acesso da população aos nossos serviços. No ano passado, foram atendidos mais de 16 mil indígenas no interior do Estado”, destaca a titular da pasta. “Neste ano, vamos expandir o atendimento e chegar a mais municípios. Contribuir neste casamento coletivo é uma forma de levar cidadania a essas pessoas”.

    Casamento coletivo 

    No total, 806 casais, de etnias Tikuna e Kokama, serão divididos em três cerimônias, que vão acontecer ao longo dos quatro dias, nas comunidades Feijoal, Filadélfia e Guanabara 3. As celebrações vão respeitar as tradições culturais dos índios, que terão o casamento civil gratuito.

    O casamento coletivo também conta com o apoio do Exército Brasileiro, da Marinha do Brasil, do Batalhão de Polícia Militar de Tabatinga e do Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Solimões (DSEI-ARS). As instituições estão dando suporte logístico e de estrutura para a realização das cerimônias, que vão ocorrer em locais de difícil acesso.

    *Com informações da assessoria