Bueiro


Esgoto a céu aberto tira o sono de moradores no conjunto Riacho Doce

Além do mau cheiro, os moradores tem convivido com as alagações e ficam ilhados dentro de casa em dias de chuva na capital amazonense

O problema da comunidade existe há anos | Foto: Naylene Freire

Manaus - “Socorro, eu não aguento mais”! Esse é o pedido de ajuda dos moradores da rua Airton Sena. O mau cheiro os acompanha durante o dia e a noite, e o motivo é um esgoto a céu aberto. Na rua Airton Sena, localizada no conjunto Riacho Doce, no bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus, existem grandes bueiros abertos.

Além do perigo de alguém cair, a situações expões os moradores desde 2014 a riscos de contaminação, como, por exemplo, bactérias que causam a leptospirose. E tudo piora no período de chuvas, pois com os canos entupidos e sem manutenção correta, a água dos bueiros transborda e alaga a rua.

A água vem com tanta força que, segundo moradores, já conseguiu derrubar um muro. Por sorte, durante o acidente, ninguém se machucou. No inverno amazônico, as chuvas têm deixado os moradores angustiados, pois isso significa que eles não vão conseguir sair de casa. Segundo eles, o alagamento os impede que tenham uma vida comum, isso inclui não sair e não chegar em casa.

O bueiro quando transborda ganha a força na água que vem do iagarapé
O bueiro quando transborda ganha a força na água que vem do iagarapé | Foto: Naylene Freire

Um dos relatos é de Marinete Bezerra, que trabalha como cuidadora e mora no Riacho Doce há 19 anos. Ela não reside na rua Airton Sena, mas a mãe de 92 anos sim - há 9 anos no local. A preocupação de Marinete é com a idosa que, inclusive, já passou mal e não teve como a ambulância buscá-la devido o alagamento.

“Quando chove, minha preocupação não é comigo, mas sim com a minha mãe. Já tentei muitas vezes fazer com que ela se mude daqui, mas ela não quer. Ela passou mal uma vez e a moça que faz companhia para ela ficou em desespero, pois a água na garagem passava do tornozelo. Depois de muita agonia, os vizinhos entraram e levaram minha mãe no colo até o encontro com a ambulância. E essa é uma água impura de esgoto, imagine se alguém pegar uma bactéria? Vai morrer”, prevê a cuidadora.

Nas ruas adjacentes do bairro passa um igarapé, isso contribui para a força da água. O perigo existe também em permanecer com o bueiro aberto, pois a rua é próxima a uma escola, então a via é passagem de crianças. O medo aterroriza os pais, que, em relação à segurança, temem que algum dos filhos caiam no bueiro e o pior aconteça. O relato a seguir é de uma dona de casa, mãe de duas crianças, que preferiu não se identificar por medo de represália.  

Perigo é maior para as crianças, devido o bueiro não ter tampa
Perigo é maior para as crianças, devido o bueiro não ter tampa | Foto: Naylene Freire

“Eu já vi de tudo nesse bueiro: cadeira, animais vivos e mortos, sapatos, sacolas, garrafas entre outras coisas. Mas, a minha maior preocupação é com as crianças porque esse bueiro não tem tampa, a qualquer momento uma delas pode cair. E a força da água é grande, já levou o muro da minha vizinha, imagine uma criança. Meu apelo é para que pelo menos tampem, pois já estamos acostumados com o mau cheiro, mas as alagações e o fato do esgoto ser aberto não têm condições. Já denunciamos várias vezes e ninguém faz nada por nós”, contou a dona de casa.

A mulher disse que a sensação que eles têm é que estão esquecidos, pois o problema vem acontecendo há muitos anos. Para ela, a situação está insustentável e a única coisa que eles precisam é de ajuda.

Juntos, os moradores afirmaram que denunciaram várias vezes para os órgãos e secretarias responsáveis, porém não obtiveram sucesso. Eles informaram que uma secretaria até esteve no local, mas que nada foi feito até o momento.

Resposta da Secretaria

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), em nota, respondeu que já esteve no local avaliando a situação e os serviços necessários para sanar o problema. De acordo com a secretaria, uma equipe do Distrito de Obras já está programada para realizar a desobstrução do bueiro. No entanto, um prazo não foi divulgado à imprensa.