Fonte: OpenWeather

    Ação Solidária


    Prefeitura presta auxílio a 21 famílias vítimas de incêndios em Manaus

    Interessados em fazer doações às vítimas podem se direcionar à igreja Bom Pastor, na rua Magalhães Barata, bairro Crespo

    12 casas atingidas pelo fogo sendo nove de madeira
    12 casas atingidas pelo fogo sendo nove de madeira | Foto: Divulgação

    Manaus - No segundo dia de acompanhamento no local onde aconteceu um incêndio na rua São Lucas, no bairro São Lázaro, Zona Sul, a Prefeitura de Manaus contabilizou, nesta segunda (24), 12 casas atingidas pelo fogo sendo nove de madeira, duas de alvenaria e uma mista. Nessas residências viviam 21 famílias.

    "É uma situação muito delicada, pois estamos lidando com crianças e idosos que, neste momento, estão sem nada. As secretarias da prefeitura estão unindo esforços para atender essas vítimas mas a população também pode contribuir com roupas, sapatos, kits de higiene pessoal e água. Estamos cumprindo nosso papel e vamos ficar aqui até o final, conforme orienta o prefeito Arthur Virgílio Neto”, pontuou a primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, que esteve presente no local, nesta segunda.

    Doações 

    No primeiro momento, as doações da população podem ser direcionadas à igreja Bom Pastor, na rua Magalhães Barata, bairro Crespo, onde o Fundo Manaus Solidária, em parceria com a Secretária Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), entregou cestas básicas para as primeiras famílias, na manhã desta segunda-feira.

    Todas as casas foram condenadas e a Defesa Civil segue fazendo o acompanhamento da área atingida
    Todas as casas foram condenadas e a Defesa Civil segue fazendo o acompanhamento da área atingida | Foto: Divulgação

    Morador do bairro, Antônio Lima esteve presente na igreja para levar suas primeiras doações. “Ontem vi uma reportagem na TV e logo fui separar algumas coisas, como essa mochila da minha filha, sapatilha, calças e vim ajudar o próximo. Isso é muito importante para todos esses irmãos que estão precisando”, frisou Antônio.

    “As lideranças da área estão nos ajudando muito, pois conhecem exatamente o local e as famílias que ali estavam vivendo. A prefeitura está preparada para dar toda assistência necessária, principalmente com o auxílio-aluguel”, destacou a secretária da Semasc, Conceição Sampaio, reforçando que as famílias continuam sendo cadastradas, por meio de um levantamento socioeconômico.

    Defesa Civil

    Segundo o técnico Defesa Civil, Cristiano Lira, todas as casas foram condenadas e o órgão segue fazendo o acompanhamento da área atingida. “Nós temos 72 horas para continuar acompanhando o local, fazer o rescaldo e verificar se outras casas também apresentam riscos na estrutura”, explicou o técnico.

    O rescaldo serve para avaliar o nível de comprometimento que as casas sofreram. Algumas foram atingidas parcialmente, então é preciso aguardar o resfriamento do local para saber se as trincas e as rachaduras vão evoluir ou não. Mediante esse tempo, a Defesa Civil fará o diagnóstico para constatar se outras residências foram atingidas ou não.

    *Com informações da assessoria