Fonte: OpenWeather

    denúncia


    Família denuncia maus-tratos e ausência de médicos no Eduardo Ribeiro

    Segundo denunciantes, os pacientes sofrem maus-tratos, passam fome e são violentados fisicamente

    O Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro é localizado na avenida Constantino Nery, nº 4307, bairro Chapada, zona Centro-Sul | Foto: Emerson Quaresma

    Manaus - Familiares denunciam maus-tratos no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro de Manaus. Segundo a denúncia, os pacientes não se alimentam corretamente, são machucados fisicamente, e eles temem que o psicológico deles fique ainda mais abalado. Além disso, encontrar um médico de plantão é uma questão de "sorte", segundo os familiares dos pacientes. O hospital fica localizado na avenida Constantino Nery, nº 4307, bairro Chapada, Zona Centro-Sul da capital amazonense.

    De acordo com as famílias, que preferiram não se identificar por medo que algo aconteça com os pacientes, ninguém consegue falar com os médicos de plantão. Os funcionários informam para as pessoas que os médicos atendem das 9h às 18h, no entanto, nesse período, quando as pessoas chegam ao hospital na tentativa de falar com algum psiquiátrico, nenhum profissional apto a repassar informações está no local.

    “Minha irmã está com dez furadas nas nádegas. Os furos estão roxos, então perguntei o que estava acontecendo com ela aos funcionários e ninguém quis me responder. Na hora do almoço, eles dão – sem brincadeira - uma concha de sopa. É muito gostosa a comida, mas a porção é pouca e minha irmã está passando fome. É muito triste a situação dos internados”, disse a denunciante.

    Familiares procuraram o Em Tempo para fazer a denúncia
    Familiares procuraram o Em Tempo para fazer a denúncia | Foto: Divulgação

    A denunciante relatou, ainda, que teve que comprar frutas e verduras para irmã e outros pacientes. Ela explicou o motivo que fez a jovem está no local.

    “Minha irmã sentiu muito quando o nosso pai faleceu e teve um primeiro surto em 2018. Dessa vez, nos deram a instrução de vir para o centro que aqui ela teria um cuidado melhor. Mas ela está há uma semana internada, e até agora ninguém conseguiu falar com o médico responsável pelo quadro dela”, contou a mulher.

    Relatos de violência também foram informados. segundo os denunciantes, um idoso estava visivelmente abalado psicologicamente quando um funcionário se aproximou.

    “Vi um senhor de idade andando devagar pelos corredores do hospital. Aí um funcionário apertou o braço dele e mandou ele fazer alguma coisa, não entendi se era lavar o banheiro ou lavar roupas. O idoso se recusou. Daí o funcionário pegou ele pelo braço e saiu puxando. No outro dia, quando cheguei, o senhor estava com o braço quebrado. Perguntei o que tinha acontecido e os funcionários responderam que era comum isso acontecer”, contou o denunciante.

    Administração 

    Questionada sobre as denúncias de ausência do médico de plantão na internação e que os pacientes não recebem comida suficiente, além de sofrerem maus-tratos por parte dos enfermeiros, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) respondeu que a direção do Hospital Eduardo Ribeiro informou que todos os pacientes estão realizando as refeições previstas e, ao todo, são seis refeições diárias.

    A direção também ressaltou que o plantão está com cobertura normal na emergência, sem faltas. E em relação ao tratamento dos funcionários para com os pacientes e a reclamação da ausência de médico no plantão, a secretaria não se pronunciou.