Fonte: OpenWeather

    Desocupação


    Promessa de urbanização do Monte Horebe é cobrada por famílias

    A invasão existe há seis anos na Zona Norte de Manaus

    A invasão existe há seis anos na Zona Norte de Manaus
    A invasão existe há seis anos na Zona Norte de Manaus | Foto: Reprodução

    Manaus – Durante a desocupação da invasão Monte Horebe, que acontece desde as primeiras horas desta segunda-feira (2), na Zona Norte de Manaus, as famílias comentaram que uma possível promessa de urbanização da invasão foi descumprida pelos órgãos do município e que por isso os moradores não deixaram o local após o aviso da desocupação por parte do Governo do Amazonas.

    Famílias pedem moradias
    Famílias pedem moradias | Foto: Lucas Silva

    O plano de desocupação foi anunciado na última sexta-feira (28) em coletiva de imprensa convocada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança Pública (SSP), com a coordenação do vice-governador, Carlos Almeida.

    Os moradores aguardam a posição dos órgãos públicos
    Os moradores aguardam a posição dos órgãos públicos | Foto: Lucas Silva

    “Vieram aqui e disseram que iriam urbanizar o Monte Horebe e não o fizeram, foi só promessa. Não é justo os moradores saírem. Eu estou sendo proibida de entrar para retirar as minhas coisas. Vieram na covardia, disseram que fariam cadastro e não foi feito. Eles acham que todos que moram aqui são traficantes, não estamos brincando de polícia e ladrão aqui. É uma covardia”, afirmou Kátia.

    Outra reclamação feita por moradores é sobre o impedimento de voltar para as casas para retirar os pertences e o uso de violência com armas de choque e spray de pimenta.

    Segundo eles, a polícia está agindo com violência. “Quebraram todas as casas ali da entrada. Estão usando arma de choque e jogando pimenta na gente. Não pode fazer isso. Ainda tem muitos moradores lá dentro e também crianças”, relatou um dos moradores.

    Policias da Força Tática estão exigindo o comprovante de residência para liberar o acesso aos moradores do Condomínio Viver Melhor, localizado nas proximidades da invasão.

    Os moradores do condomínio próximo ao local apresentam comprovantes de residência aos policiais
    Os moradores do condomínio próximo ao local apresentam comprovantes de residência aos policiais | Foto: Lucas Silva

    Entre os órgãos envolvidos estão: Seas, Sejusc, UGPE, Casa Civil, Sema, Ipaam, Suhab, SSP, Polícia Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública do Estado (DPE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).

    Assista à reportagem de Kennedson Paz e Rogério Barros no local: