Fonte: OpenWeather

    Luto


    Morre aos 66 anos, Geraldo Bernardino, o 'homem da pesca do Amazonas'

    Ele foi considerado um grande contribuidor para a pesca na região Norte

    Ele foi considerado o papa da pesca e da piscicultura no Brasil
    Ele foi considerado o papa da pesca e da piscicultura no Brasil | Foto: Reprodução

    Manaus - Morreu na manhã desta segunda-feira (16), aos 66 anos, o Secretário Executivo de pesca e aquicultura (SEPA), da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Geraldo Bernardino. Ele estava afastado do cargo para tratamento de saúde contra diabetes.

    O velório está acontecendo na Funerária Canaã, avenida Major Gabriel, Centro de Manaus. O sepultamento, previsto para esta terça-feira (17), acontecerá no Cemitério Recanto da Paz, no município de Iranduba, às 16h.

    A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) manifestou em nota o seu mais profundo pesar pela morte do ex-secretário executivo adjunto. A nota enviada ofereceu condolências aos familiares e amigos da família de Geraldo.

    O diretor-geral do Instituto Federal do Amazonas (IFAM), em Presidente Figueiredo, Jackson Pantoja usou as redes sociais para lamentar a morte de Geraldo. 

    "O dia amanheceu mais triste. Um grande amigo Geraldo Bernardino nos deixou nessa madrugada. Geraldo foi um dos grandes incentivadores da piscicultura no Amazonas e um grande pesquisador. Sua biografia é tão grande quanto seu coração. Geraldo foi essencial na minha atuação na docência e pesquisa sobre a piscicultura regional. Descanse em paz amigo GB", lamentou. 

    Jornada

    Geraldo começou sua jornada no Pantanal Mato-grossense, em 1977, trabalhando como pesquisador no Centro de Pesquisa do Pantanal Mato-grossense (Cepimam/ Sudepe), na área de biologia pesqueira e dinâmica de populações. Ficou um certo tempo nesta Instituição e depois foi trabalhar especificamente com o pacu (Piaractus mesopotamicus), indo para São Paulo, onde atuou até chegar ao cargo de Diretor do CEPTA (Centro Nacional de Pesquisa de Peixes Tropicais). 

    Além disso, foi coordenador de ensino do Centro Regional Latino-americano de Aquicultura – CERLA/FAO/SUDEPE (1981-1984), presidiu brilhantemente a Associação Brasileira de Aquicultura – ABRAq (1992- 1999) e Coordenador Nacional de Aquicultura do Ministério da Agricultura – DPA/ MAPA (1999 e 2001), logo depois que saiu de São Paulo. Veio para Manaus em 2003 quando foi nomeado como Secretário Executivo de Pesca e Aquicultura.

    Geraldo, conhecido como 'homem da pesca do Amazonas', recebeu o título de Cidadão Amazonense em maio de 2016 e foi contemplado com o prêmio “Imortais da Engenharia da Pesca no Brasil".